Grupo Vila Galé abriu quatro hotéis em plena pandemia e tem um projeto para crianças

Nem a pandemia impediu o Grupo Vila Galé de manter os investimentos previstos. Abriu quatro hotéis: três em Portugal e um no Brasil. O Vila Galé Nep Kids, no Alentejo, ainda aguarda aprovação.

A economia voltou a fechar para travar os efeitos da pandemia. Para quando a retoma? O ECO foi falar com vários empresários sobre as perspetivas de retoma nos seus respetivos setores e o que é necessário para ultrapassar as dificuldades.

O setor do turismo foi brutalmente afetado pela pandemia, mas nem a crise impediu o Grupo Vila Galé de manter os investimentos previstos e continuar com o seu plano de expansão. Em ano de pandemia, o Grupo Vila Galé, um dos maiores grupos hoteleiros em Portugal, abriu três novos hotéis em território nacional, o Vila Galé Serra da Estrela, localizado em Manteigas, o Vila Galé Collection Alter Real, em Alter do Chão e conseguiu concluir a segunda fase de expansão do Vila Galé Douro Vineyards. Atualmente o grupo tem 27 unidades hoteleiras em Portugal.

No Brasil, o grupo tem dez hotéis e todos eles estão abertos. Jorge Rebelo de Almeida conta que, inclusivamente, abriram uma unidade hoteleira em plena pandemia, o Vila Galé Paulista, em São Paulo. Focados no plano de expansão, o presidente do grupo adianta que iniciaram, em outubro do ano passado, a construção de um resort de luxo no Brasil, o Vila Galé Alagoas.

Jorge Rebelo de Almeida explica ao ECO que a realidade nos dois países é completamente diferente e que o “impacto é maior em Portugal”. No Brasil tem sido “possível conciliar o controlo da pandemia com o desenvolvimento e manutenção da atividade económica na medida do possível“, refere.

Em Portugal, dos 27 hotéis que o Grupo Vila Galé tem de Norte a Sul, apenas quatro estão abertos. “Neste momento estamos abertos no Porto, Lisboa, Algarve e na Madeira, em Santa Cruz”, adianta o presidente do Grupo.

As novidades não ficam por aqui e Jorge Rebelo de Almeida conta que têm um projeto em fase de aprovação direcionado para crianças. Chama-se hotel Vila Galé Nep Kids, vai nascer no Alentejo, em Beja, e promete fazer a delícia dos mais miúdos. “É um sonho muito antigo nosso e vai ser um paraíso para as crianças”, adianta.

Apesar de estarem focados no plano de expansão, presidente do Grupo Vila Galé salienta que “a situação é dramática para setor do turismo” e adianta que o Grupo perdeu 75 milhões de euros de faturação em Portugal e 136 milhões de reais (cerca de 20 milhões de euros) no Brasil.

Portugal liderou a tabela dos países a nível mundial com maior número de mortes de infetados por Covid-19. Jorge Rebelo de Almeida deixa um apelo e destaca que é “imprescindível limpar a má imagem de Portugal e voltar a transmitir a confiança dos turistas que somos um país seguro e confiável”. Todavia, não tem dúvidas, que o turismo vai voltar a ser o que era até porque é premente a necessidade de férias e escape.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Grupo Vila Galé abriu quatro hotéis em plena pandemia e tem um projeto para crianças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião