“Humanidade precisa urgentemente de tratado internacional para as pandemias”, diz Costa

Primeiro-ministro aponta que é necessário um tratado para que não seja preciso "improvisar ou reagir na emergência como temos feito com muito custo ao longo deste ano". 

O primeiro-ministro defende que a principal lição internacional a retirar da Covid-19 é que “a humanidade precisa urgentemente de tratado internacional para as pandemias”. Isto para que, no futuro, não seja necessário “improvisar ou reagir na emergência como temos feito com muito custo ao longo deste ano”.

António Costa sublinha que a Covid-19 “continua a causar milhares de vítimas”, pelo que é “essencial unir esforços para acelerar vacinação a nível global”, em declarações na Cimeira Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo. Para o primeiro-ministro, este “desafio comum não será ultrapassado sem cooperação e solidariedade”.

Portugal tem-se “associado a esforços, através da contribuição conjunta da União Europeia destinada à Covax, mas também diretamente no apoio aos países africanos de língua oficial portuguesa e Timor Leste”, ao redirecionar 5% das vacinas adquiridas pelo país, recorda Costa. Já no âmbito da presidência do UE, tem-se “impulsionado criação de mecanismo europeu de partilha de vacinas”, acrescenta.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

“Humanidade precisa urgentemente de tratado internacional para as pandemias”, diz Costa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião