Manpower quer pôr empregadores a olhar além das fontes tradicionais de talento. “Foquem a atenção nos entusiastas do gaming”

Pensamento crítico, criatividade, inteligência emocional e resolução de problemas são algumas das skills que a especialista em recrutamento considera que os entusiastas do gaming adquirem.

A escassez de talento é um problema real. Para muitas organizações, que continuam a recrutar mesmo no contexto da pandemia mundial, é cada vez mais complicado encontrar os profissionais certos, nomeadamente com o conjunto de soft skills que consideram relevantes para a função. Segundo um estudo do grupo Manpower, a digitalização veio aumentar ainda mais a procura por competências humanas fundamentais para o “desenvolvimento de uma força de trabalho ágil e resiliente nos momentos de mudança e disrupção”. A novidade é que os gamers podem ser os candidatos que as empresas procuram.

De acordo com a especialista em recrutamento, os videojogos permitem aos jogadores desenvolver soft skills que são perfeitamente aplicáveis, transferíveis e relevantes no local de trabalho. Pensamento crítico, criatividade, inteligência emocional e capacidade de resolução de problemas são algumas delas.

O estudo do ManpowerGroup, “Game To Work”, incide precisamente nesta necessidade de inovação, sugerindo que os empregadores olhem além das fontes tradicionais de talento e foquem “a sua atenção nos entusiastas do gaming“, lê-se em comunicado.

Na sequência deste estudo, a Manpower lançou também uma campanha de recrutamento que tem como objetivo valorizar a indústria dos videojogos e a geração que dedicada grande parte da sua atenção a este tipo de entretenimento. “Através de um assessment, o jogador é avaliado pela experiência, resultados e tipo de jogos a que mais se dedica e toma conhecimento das soft skills que desenvolveu, assim como das áreas e funções que pode desempenhar com base nesses resultados”, explica a recrutadora.

“Com esta campanha, o ManpowerGroup aposta uma vez mais no potencial das skills transferíveis e inova na abordagem da atual escassez de talento, dirigindo-se a uma pool de talento diferenciado (…) Ao explorar o mundo do gaming, aplicamos soluções criativas para identificar skills relevantes e acedemos ao talento onde este se encontra, valorizando a sua experiência e falando com ele na sua língua para lhes apresentar as oportunidades profissionais que pode desenvolver connosco”, afirma Rui Teixeira, chief operations officer do ManpowerGroup Portugal.

Os interessados em fazer o teste às suas skills devem aceder à plataforma “Gaming Skills Translator” e indicar os seus videojogos de eleição, a sua experiência e nível atingidos, bem como o tempo que lhes dedicam. A plataforma fará a tradução dessa informação em competências de trabalho. “Os profissionais podem adicionar [essas competências] ao seu CV e comunicar nas entrevistas, ajudando-os a alcançar uma melhor afinidade com a posição a que se candidatam”, refere a empresa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Manpower quer pôr empregadores a olhar além das fontes tradicionais de talento. “Foquem a atenção nos entusiastas do gaming”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião