Holding MGP concretiza venda de 23% do capital da Mota Engil aos chineses da CCCC

A Mota Gestão e Participações, holding controlada pela família Mota, reduziu a sua posição na Mota-Engil para 40,09%. 

A holding que agrega as posições da família Mota na Mota-Engil concretizou a venda de 55 milhões de ações, decorrente do acordo com a China Communications Construction Company (CCCC). A operação foi realizada a 3,08 euros por ação, segundo foi comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A Mota Gestão e Participações (MGP) reduziu assim a sua posição na Mota-Engil para 40,09%. Segundo a informação remetida ao mercado, antes da operação de alienação de direitos de voto, a Mota Gestão e Participações detinha 56,48% de direitos de voto associados a ações da empresa de construção. A sociedade passa agora a ser detentora de 95.226.563 títulos da Mota-Engil.

Num comunicado enviado esta terça-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Mota-Engil clarifica a nota enviada na segunda-feira, concretizando aquele que diz ter sido mais um passo previsto no acordo.

Assim, refere, “concluiu-se ontem [segunda-feira] a alienação de 55 milhões de ações pelo seu acionista de referência, Mota Gestão e Participações (…) à Epoch Capital Investement (…) e, conforme também previsto no acordo, a MGP alienou à Epoch 47.810.041 direitos de subscrição de novas ações, permitindo assim que esta empresa subscreva 44.426.974 novas ações no âmbito da Oferta de Subscrição em curso”.

“Com mais este passo, aproxima-se do fim o processo de concretização integral do acordo, o que deverá ocorrer, de acordo com calendário disponível no prospeto publicado no passado dia 3, até ao final do corrente mês de maio”, refere.

Foi no ano passado que a Mota-Engil anunciou ter concluído o acordo de parceria estratégica e de investimento com a CCCC para a entrada do novo acionista no capital do grupo, que se traduziu na compra de 55 milhões de ações (cerca de 23%) ao preço de 3,08 euros por ação, num investimento de 169,4 milhões de euros.

Já em janeiro deste ano, os acionistas da Mota-Engil deram luz verde ao conselho de administração para deliberar um aumento de capital de 100 milhões de euros. O aumento de capital, que permitirá a entrada da CCCC na construtora portuguesa, arrancou esta segunda-feira e decorre até 25 de maio.

Para além disso, a holding comunicou também à CMVM que adquiriu 16.078.590 ações da Mota-Engil, “das quais 764.140 ações adquiridas a outros familiares de acionistas da FM – Sociedade de Controlo, SGPS, S.A. (entidade detentora de 100% do capital social da MGP)”. O preço foi também de 3,08 euros por ação.

(Notícia atualizada às 12h39 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Holding MGP concretiza venda de 23% do capital da Mota Engil aos chineses da CCCC

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião