Profissionais de saúde contratados para combater a Covid-19 vão reforçar SNS

Em comunicado, o Ministério das Finanças revela que foi dada autorização para que mais 2.474 profissionais de saúde possam ser integrados no Serviço Nacional de Saúde (SNS),

Mais 2.474 profissionais de saúde poderão ser integrados no Serviço Nacional de Saúde (SNS), informa esta quarta-feira o Ministério das Finanças. Em comunicado, a tutela esclarece que esta é uma medida que irá abranger, essencialmente, profissionais que foram contratados para robustecer o combate do país contra a Covid-19.

O Ministério das Finanças dá conta de que esses profissionais de saúde passarão, assim, a estar abrangidos por contratos de trabalho sem termo (em hospitais) ou por tempo indeterminado (nas Administrações Regionais de Saúde), para desempenharem funções públicas.

Do número total (2.474), autoriza-se assim a contratação de 165 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de radiologia, 630 enfermeiros, 465 assistentes técnicos e 110 assistentes operacionais, para sustentar os serviços de Cuidados de Saúde Primários. A contratação de mais 60 médicos, 626 enfermeiros e 198 assistentes operacionais está também prevista, com vista a robustecer os serviços de Medicina Intensiva.

Por sua vez, o despacho que dá permissão a esta medida autoriza ainda a abertura de concursos que tenham em vista a contratação de 110 enfermeiros em saúde comunitária e saúde pública e de 110 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de saúde ambiental, com vista a reforçar a resposta do SNS no âmbito da Saúde Pública.

Na nota de imprensa enviada às redações, fica claro que esta “autorização de contratação consta do despacho assinado pelo ministro das Finanças, pela ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e pela ministra da Saúde, publicado em Diário da República, no dia 12 de maio”.

A admissão no SNS de médicos recém especialistas que venham a concluir a especialidade na primeira época de 2021, bem como outras contratações diretas que possam revelar-se necessárias, são também consideradas neste documento. Porém, toda esta “distribuição dos postos de trabalho pelas entidades do SNS será determinada por despacho da ministra da Saúde”, nota ainda o comunicado de imprensa.

“O SNS é construído pelos seus profissionais. Por isso, é hoje publicado o despacho que prevê a contratação de mais 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros. Prosseguimos a trajetória de reforço do SNS, que se revelou essencial na crise pandémica”, escreveu, a propósito deste tema, António Costa, na rede social Twitter.

No Dia Internacional do Enfermeiro, que se assinala esta quarta-feira, o líder do Governo quis ainda saudar “todos os profissionais de enfermagem” e agradecer “o empenho e dedicação com que, ao longo do último ano, têm enfrentado a pandemia”.

“Com o seu trabalho incansável, os enfermeiros foram verdadeiramente decisivos no processo de recuperação de tantos que contraíram a covid-19 e agora na campanha de vacinação”, lê-se na conta oficial do primeiro-ministro.

(Notícia atualizada às 10h52 com declarações de António Costa)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Profissionais de saúde contratados para combater a Covid-19 vão reforçar SNS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião