UBS permite que dois terços dos colaboradores adotem modelo híbrido

A decisão surge depois de a empresa com sede na Suíça ter concluído que este modelo de trabalho não afeta a produtividade dos trabalhadores.

O UBS Group AG está atento às necessidades dos seus trabalhadores, que exigem maior flexibilidade. Decidiu permitir que cerca de dois terços dos seus colaboradores trabalhem em formato híbrido, alternando entre o trabalho a partir de casa e no escritório.

A decisão surge depois de a empresa com sede na Suíça ter concluído que este modelo de trabalho não afeta a produtividade.

O UBS anunciou aos colaboradores, cujas funções e localizações o permitam, que será oferecida a opção de trabalho híbrido, uma iniciativa que será implementada em todos os países onde opera durante os próximos meses, avança o The Wall Street Journal (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Apesar deste modelo de trabalho que permite maior flexibilidade, o UBS alertou que tal “não significa que se pode trabalhar onde e quando se quiser”.

Esta decisão contrasta com as decisões de outros grandes bancos, incluindo o Morgan Stanley, o Bank of America e o Goldman Sachs Group, que estão a pressionar os seus funcionários a regressarem aos escritórios, à medida que as restrições devido à Covid-19 vão sendo levantadas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

UBS permite que dois terços dos colaboradores adotem modelo híbrido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião