Da banca aos seguros. Os trunfos dos setores mais tradicionais na atração e retenção de talentopremium

As novas gerações são atraídas e retidas de uma forma diferente. O que funcionava antes pode, agora, já não surtir efeito e, nos setores mais tradicionais, isso pode significar perder atratividade.

Numa altura em que a generalidade das empresas adapta processos, avança na digitalização e decide futuros modelos de trabalho, nenhuma empresa quer ficar para trás. E, mesmo em setores mais tradicionais como advocacia, seguros e banca esse esforço de reinvenção está a ser feito sob pena de perderem atratividade junto do talento.Na hora de decidir sobre o futuro modelo de trabalho a Liberty Seguros não hesitou: foi das primeiras empresas a anunciar um novo modelo de trabalho totalmenteremoto. "É uma resposta à procura dos colaboradores em adotar um formato diferente do que existia antes da pandemia, e foi pensado e definido em conjunto com eles", justifica Beatriz Ortega, responsável pela área de employeeexperienceda seguradora .Além da adoção do trabalho remoto (que permite aos

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos