Utilização de carvão e outros combustíveis fósseis está a aumentar, alerta AIE

  • Lusa
  • 15 Julho 2021

Espera-se que as emissões de CO2 do setor elétrico, depois de terem diminuído nos últimos dois anos, aumentem 3,5% em 2021 e 2,5% em 2022, para um nível recorde.

A procura mundial de eletricidade está a crescer mais rapidamente do que a utilização de energias renováveis, ampliando a utilização de combustíveis fósseis, especialmente carvão, que são as principais fontes de aquecimento global, afirmou esta quinta-feira a AIE.

Com a recuperação económica, a procura de eletricidade deverá crescer 5% em 2021, um aumento do qual quase metade será satisfeito por combustíveis fósseis, gás, mas especialmente carvão, o que “levará as emissões de CO2 do setor da eletricidade para níveis recorde em 2022”, salienta o relatório semestral da AIE (Agência Internacional de Energia) sobre o mercado da eletricidade.

A Ásia – especialmente a China e a Índia – está a impulsionar a maior parte da procura de energia, que deverá crescer 5% este ano e 4% no próximo ano, depois de cair 1% em 2020 devido à pandemia.

A quota das energias renováveis (barragens, eólicas, solares, etc.) deverá crescer fortemente, cerca de 8% em 2021 e 6% em 2022, estima a AIE com base nas principais tendências económicas e medidas nacionais conhecidas.

Mas espera-se que as energias renováveis cubram apenas metade da procura adicional projetada. Cerca de 45% serão cobertos por combustíveis fósseis (40% em 2022), o restante por energia nuclear.

Como resultado, espera-se que as emissões de CO2 do setor elétrico, depois de terem diminuído nos últimos dois anos, aumentem 3,5% em 2021 e 2,5% em 2022, para um nível recorde.

“A eletricidade renovável está a crescer de forma impressionante em muitas partes do mundo, mas ainda não o suficiente para nos colocar num caminho de emissões líquidas zero até meados do século”, diz Keisuke Sadamori, diretor de mercados e segurança energética da AIE.

“Para avançarmos para um caminho sustentável, precisamos de aumentar maciçamente o investimento em tecnologias limpas, especialmente nas energias renováveis e na eficiência energética. Se o mundo quiser alcançar a neutralidade de carbono até 2050, deve começar por reduzir as emissões no setor da eletricidade, o setor mais fácil de descarbonizar”, adianta a AIE no relatório.

Para a AIE, isto significa que a produção a partir do carvão, o combustível mais quente de todos, deve cair mais de 6% ao ano até 2020-2025, mas nesta fase espera-se que cresça 5% este ano e 3% em 2022, estima a agência.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Utilização de carvão e outros combustíveis fósseis está a aumentar, alerta AIE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião