TikTok quer ser o LinkedIn da geração Z. Lança piloto para fazer o match entre jovens e vagas

O "TikTok Resumes" pretende fazer a ponte entre os jovens da geração Z e o mercado de trabalho. O programa piloto dura até final do mês e os currículos enviam-se em formato de vídeo.

O TikTok já conquistou a geração Z. Mais de metade dos seus utilizadores têm menos de 24 anos, mas, do entretenimento e vídeos virais, esta rede social quer dar, agora, um novo passo. Quer ser uma espécie de LinkedIn para estes jovens, fazendo a ponte com o mercado de trabalho. Mas sem perder a sua essência. O piloto, ao qual aderiram 37 empresas, já está a funcionar nos Estados Unidos.

Aproveitando o facto de os jovens da geração Z (pessoas nascidas, em média, entre a segunda metade dos anos 1990 até o início do ano 2010) estarem ainda pouco presentes no LinkedIn (19,3%), o TikTok lançou o “TikTok Resumes”, um programa piloto que liga jovens a grandes empresas, como a Shopify ou a Alo Yoga, que tenham processos de recrutamento a decorrer.

O programa aceita apenas currículos em formato vídeo e com uma duração limitada, à semelhança do que já acontece nesta rede social. A plataforma já foi lançada e aceitará candidaturas até 31 de julho, numa fase ainda de testes e apenas disponível nos Estados Unidos, avança o Insider.

Os recrutadores podem publicar as ofertas de emprego no site criado pela rede social e os usuários interessados podem candidatar-se à posição enviando um vídeo no qual deem a conhecer, de forma divertida e criativa, as suas competências e experiências, utilizando o hashtag #TikTokResumes.

Além disso, os utilizadores do TikTok têm utilizado a plataforma como uma ferramenta para partilhar vagas atuais e dar dicas para aplicar em entrevistas de emprego ou na construção do currículo.

Para já, 37 empresas, incluindo o próprio TikTok, estão a publicar as suas vagas de emprego no site. Chipotle, Target, WWE, Alo Yoga, Shopify, Contra e Movers+Shakers são apenas algumas delas.

Pode aceder ao programa “TikTokResumes” através da aplicação, recorrendo ao hashtag #TikTokResumes, ou atarvés do site www.tiktokresumes.com.

É tempo de explorar novos canais para atrair os futuros líderes

Recorrer a formas menos convencionais e mais criativas para atrair o talento não é, contudo, novidade. As novas gerações estão mais exigentes e conquistá-las é uma tarefa muito mais desafiante. Para chegar até elas e conseguir despertar a vontade de “vestir a camisola” com orgulho, algumas empresas têm vindo a recorrer a outras redes sociais para anunciar as suas vagas.

Contando com milhões de utilizadores, muitas empresas e marcas fazem do Instagram a porta de entrada para potenciais colaboradores, tentando transmitir a sua filosofia e valores através de conteúdo sobretudo em fotografias e vídeos. E divulgar ofertas de emprego também é opção, aproveitando o público e o alcance da sua conta.

A empresa espanhola Papiroga, com mais de 44 mil seguidores, criou um destaque nas histórias chamado “We are hiring!”, através do qual anuncia as vagas na empresa. É normal aparecerem nos stories as líderes da marca a divulgarem a vaga, dando alguma informação adicional e remetendo os interessados para o link de candidaturas.

Mas há ainda quem vá mais longe e utilize uma plataforma de música para ajudar no recrutamento de novos talentos. O Spotify oferece a possibilidade de criar listas de músicas pessoais e personalizadas, que podem ser criadas para serem dirigidas aos candidatos e a determinado processo de recrutamento.

A ideia sugerida pela plataforma Match.hr, desenvolvida em colaboração com o Cambridge Psychometric Centre, é que, depois de uma conta criada na plataforma de música, a empresa recrutadora crie uma lista de reprodução para o seu candidato, à qual pode, por exemplo, dar o nome de “Junte-se à equipa”, “Queremos contar consigo” ou, diretamente, “Estamos à procura de um programador”.

Com o nome escolhido, a ideia é que procure músicas que tenham como título palavras que façam parte da mensagem que quer transmitir. Ou seja, lendo os títulos das canções que compõe a lista, o candidato consegue perceber a mensagem.

“Com base na nossa experiência, esta abordagem consegue melhorar a taxa de resposta em 15%”, diz a Match.hr. “As pessoas gostam quando os recrutadores as tratam como humanos e não apenas como robôs ou trabalhadores”, acrescenta, salientando que, às vezes, uma pequena surpresa divertida num processo de recrutamento faz toda a diferença.

“É o recrutamento mais original e criativo que já vi”. “Isto é único”. “A ideia de recrutar com o Spotify é a melhor que vi em todo o ano”. “Gostei da playlist”. Estas foram algumas das mensagens enviadas pelos candidatos abordados através deste método divertido e original para atrair talento.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

TikTok quer ser o LinkedIn da geração Z. Lança piloto para fazer o match entre jovens e vagas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião