5 coisas que vão marcar o dia

Esta quinta-feira deverá ficar marcada pelo anúncio de novas regras para a pandemia após o Conselho de Ministros, na sequência da reunião do Infarmed.

Esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga a taxa de desemprego de junho em Portugal ao passo que o gabinete de estatísticas dos EUA avançam com a estimativa rápida do PIB do segundo trimestre. No mundo dos mercados, cotadas portugueses como a EDP e a Sonae divulgam os resultados do primeiro semestre após o fecho do PSI-20. No Parlamento, os sindicatos bancários vão ser ouvidos sobre os despedimentos na banca.

Conselho de Ministros decide nova fase de regras da pandemia

Esta semana realizou-se a reunião do Infarmed em que os responsáveis políticos ouviram os especialistas sobre a propagação da Covid-19 e o processo de vacinação, entre outros fatores que irão agora influenciar as medidas que o Governo venha a tomar. A expectativa é que haja mudanças (ou pelo menos o seu anúncio) no Conselho de Ministros desta quinta-feira. Há sinais de que poderá cair a limitação de horários em alguns setores, assim como a limitação de lotação, e que possa haver uma uniformização do país, deixando cair a diferenciação por concelho. Além disso, o certificado digital Covid-19 (gerado através de vacinação ou testagem) poderá vir a ser utilizado em mais situações. O primeiro-ministro já assumiu que prevê a “libertação total da sociedade” no final do verão.

Taxa de desemprego sobe ou desce em junho?

Apesar do desconfinamento, maio foi sinónimo de um agravamento do mercado de trabalho em Portugal. A taxa de de desemprego subiu para 7,2%, o que compara com 7% em abril. Esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga os dados de junho e tudo está em aberto. Por um lado, a taxa pode subir porque cada vez há mais pessoas que voltam a encaixar no conceito estatístico de desempregado, o qual implica que há uma procura ativa por emprego, o que deixou de fora parte da população desempregada durante o confinamento. Por outro lado, os dados do IEFP são promissores com os desempregados inscritos no IEFP a baixar para um mínimo da pandemia.

Cotadas divulgam resultados do primeiro semestre

Primeiro, um confinamento e a pior queda do PIB da União Europeia no primeiro trimestre. Depois, o desconfinamento com dinamismo da economia perante o avanço da vacinação em Portugal. É entre estas duas realidades que as empresas tiveram de operar no primeiro semestre deste ano. Esta quinta-feira várias cotadas divulgam o resultado que tiveram, a começar pelo setor energético com a EDP e a REN. A Sonae e a Sonae Indústria também apresentam os resultados após o fecho do PSI-20.

Despedimentos da banca chegam ao Parlamento

Os sindicatos do setor bancário vão ser ouvidos esta quinta-feira de manhã na comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social a pedido do grupo parlamentar do PSD. São sete sindicatos, com destaque para o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários, que farão parte desta audição na sequência do anúncio de mais despedimentos na banca portuguesa. De tarde é a vez de serem ouvidos os CEO do BCP e do Santander Totta, Miguel Maya e Pedro Castro e Almeida, respetivamente.

Quanto cresceu a economia norte-americana no segundo trimestre?

No primeiro trimestre completo de Administração Biden (o novo Presidente tomou posse a 20 de janeiro), terá a economia norte-americana acelerado? A resposta será dada esta quinta-feira pelo gabinete de estatísticas norte-americano. No primeiro trimestre o PIB tinha crescido 6,4%, mas no segundo a base de comparação é ainda mais baixa uma vez que o trimestre homólogo foi o mais afetado pela pandemia. Ainda esta semana o Fundo Monetário Internacional reviu em alta o crescimento dos EUA para 7% no conjunto do ano.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião