Já existem três interessados em comprar a Dielmar

O futuro da Dielmar pode passar pelas mãos de investidores e já existem interessados em adquirir a empresa. Presidente da autarquia acredita que "vão chegar mais propostas nas próximas semanas".

Seis dias depois do Juízo de Comércio do Tribunal Judicial da Comarca de Castelo Branco declarar a insolvência da Dielmar, já existem três potenciais interessados em comprar a empresa de Alcains, confirma ao ECO o gestor de insolvência, João Francisco Baptista de Maurício.

“A única coisa que confirmo é que recebi três emails que foram encaminhados por parte da Câmara Municipal de Castelo Branco onde aparecem três pessoas, um deles é um escritório de advogados e os outros são duas pessoas singulares que manifestaram interesse em apresentar uma proposta, conhecer e pedir mais informações sobre a Dielmar“, adianta ao ECO o gestor de insolvência.

O presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, José Alves, confirmou ao Jornal de Notícias na passada sexta-feira, que “já existem interessados, mas de uma forma informal, até porque querem obter mais informações sobre a situação da empresa”. O autarca socialista adianta ainda que “é natural que haja mais propostas durante as próximas semanas”.

José Alves garantiu ao ECO que está a ser feito o acompanhamento da situação da empresa, sendo que estão a ser feitas reuniões com entidades “que devem contribuir”, na procura de uma solução. Atualmente, está a ser colocado “todo o esforço no sentido” de ter a Dielmar a trabalhar, com os mesmos colaboradores, sendo que a empresa é das maiores empregadoras da região, garante o presidente da autarquia albicastrense.

Esta segunda-feira por volta das 15h00 os trabalhadores da empresa Dielmar vão realizar um plenário em frente à Câmara Municipal de Castelo Branco. Uma concentração que tem como objetivo mostrar o descontentamento dos 300 colaboradores que correm o risco de perder o emprego, mas também para se inteirarem do desenvolvimento das reuniões que têm decorrido entre a autarquia e o Ministério da Economia.

Os trabalhadores da maior empregadora da região ficaram a saber do pedido de insolvência da Dilemar através da comunicação social quando a empresa estava fechada para férias. Uma situação “lamentável e inaceitável”, disse ao ECO a dirigente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Têxtil da Beira Baixa, Marisa Tavares.

De acordo com o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, “as dificuldades da Dielmar já eram evidentes”. Aliás, há muito que o Estado acompanha a situação desta empresa, que acumula, frisou o mesmo, resultados negativos “desde há dez anos”. O Governo já injetou oito milhões de euros na empresa de Alcains, que poderão não ser recuperados. A Dielmar culpa a pandemia do desfecho da empresa, mas o Governo culpa a empresa de má gestão.

Até março, a empresa liderada por Ana Paula Rafael faturou pouco mais de 700 mil euros, número que compara com um volume de negócios da ordem dos cinco milhões de euros no ano anterior.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Já existem três interessados em comprar a Dielmar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião