Estes são os cursos superiores com desemprego zero

Este ano, e provavelmente devido à Covid-19, Enfermagem ocupa o primeiro lugar do ranking das saídas profissionais. Fora da saúde, o curso de Engenharia Informática também merece um lugar de destaque.

Com dez cursos no país com desemprego zero, a formação em Enfermagem ocupa o primeiro lugar do ranking no que toca a saídas profissionais. Fora da área da saúde, Engenharia Informática é o curso que mais brilha.

A Pessoas/ECO organizou os dados disponibilizados pelo portal Infocursos2021, gerido pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), com o apoio da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), e organizou uma lista com os cursos e respetivas instituições de ensino com taxas de desemprego zero. Enfermagem, Engenharia Informática, Gestão e Arquitetura destacam-se neste ranking.

Os dados disponibilizados pelo portal revelam as percentagens de recém-diplomados de cada curso que não conseguiram arranjar trabalho e, por essa mesma razão, estão registados como desempregados nos centros de emprego do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Ao analisar as taxas de desemprego, deve também ser tido em conta o número de diplomados.

Enfermagem nos lugares cimeiros da empregabilidade

Não há margem para dúvidas: a procura por profissionais de enfermagem continuar a ser uma tendência do mercado laboral. Entre os cursos que apresentam taxas de desemprego correspondentes a 0%, os de Enfermagem são os que lideram. Há dez no país com desemprego zero, o que se deve, provavelmente, à situação pandémica que o país viveu, e continua a viver.

Os dados do Infocursos referentes ao ano passado colocam o curso de Ciências Biomédicas Laboratoriais no topo, com maior saída profissional. Mas Enfermagem já fazia também parte do pódio. Estas são as faculdades onde o curso de Enfermagem tem desemprego zero:

  • Escola Superior de Saúde de Santarém (318 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Portalegre (220 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Beja (156 diplomados)
  • Escola Superior Politécnica de Saúde (Porto) da Universidade Católica Portuguesa (123 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve (122 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa – Lisboa (121 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa (119 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde Egas Moniz (98 diplomados)
  • Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias (95 diplomados)
  • Escola Superior de Saúde Atlântica (80 diplomados)

Engenharia informática garante saídas profissionais

Fora da área da saúde, o destaque vai para os cursos de engenharia informática. Há três instituições de ensino no país onde todos os diplomados conseguiram emprego, em 2020. O Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa destaca-se entre elas dado o elevado número de diplomados.

  • Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (322 diplomados)
  • Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (31 diplomados)
  • Escola Superior de Ciência e Tecnologia do Instituto Superior Politécnico Gaya (30 diplomados)

Além destas, há outras universidades no país onde o curso em engenharia informática regista taxas de desemprego muito baixas. É o caso da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (343 diplomados), onde a taxa é de 0,1%, e do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (243 diplomados), com uma taxa de 0,2%.

Gestão e Arquitetura completam o pódio

Gestão e Arquitetura são os cursos que ocupam, este ano, o terceiro lugar do ranking da empregabilidade. Há quatro instituições de ensino, com cursos em cada uma destas áreas, em que todos os diplomados conseguiram emprego. Estas são as faculdades onde Gestão está em alta:

  • Escola Superior de Gestão (52 diplomados)
  • Instituto Superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares de Almada (34 diplomados)

E no caso de Arquitetura:

  • Universidade Lusíada – Norte – Vila Nova de Famalicão (92 diplomados)
  • Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (192 diplomados)

Outros cursos com desemprego zero

Embora com menos expressão, no portal Infocursos2021 há outros cursos, e respetivas instituições de ensino, onde a taxa de desemprego é, também, igual a zero.

As engenharias dominam esta lista, mas o destaque vai para Medicina, por apresentar o maior número de diplomados e contar com duas outras instituições (Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e Universidade da Beira Interior) onde a taxa de desemprego é de apenas 0,1%.

  • Medicina: Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (742 diplomados)
  • Fisiologia Clínica: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (124 diplomados)
  • Psicologia: Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa (100 diplomados)
  • Educação Básica: ISCE – Instituto Superior de Lisboa e Vale do Tejo (96 diplomados)
  • Música, variante de Composição, Direção e Formação Musical: Escola Superior de Música do Instituto Politécnico de Lisboa (67 diplomados)
  • Engenharia Geológica e de Minas: Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (64 diplomados)
  • Farmácia: Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve (50 diplomados)
  • Matemática: Universidade de Aveiro (55 diplomados)
  • Engenharia Naval e Oceânica: Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (53 diplomados)
  • Ortóptica: Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto (52 diplomados)
  • Estudos Portugueses: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (46 diplomados)
  • Ciências Aeronáuticas: ISEC Lisboa – Instituto Superior de Educação e Ciências (42 diplomados)
  • Terapia da Fala: Escola Superior de Saúde do Alcoitão (38 diplomados)
  • Dança: Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa (35 diplomados)
  • Engenharia de Proteção Civil: ISEC Lisboa – Instituto Superior de Educação e Ciências (30 diplomados)
  • Química: Universidade de Aveiro (30 diplomados)

Veja aqui todos os dados estatísticos relativos aos cursos superiores.

Quais são os hotéis mais caros do país? Quem são as personalidades mais influentes no TikTok? E os gestores mais bem pagos da nossa bolsa? De segunda a sexta-feira, todos os dias há um ranking para ver aqui no ECO.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estes são os cursos superiores com desemprego zero

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião