26 países em 36 dias. Este comboio vai percorrer a Europa em nome da sustentabilidade

O "Connecting Europe Express" parte de Lisboa, a 2 de setembro. O objetivo é mostrar -- em tempo real -- o poder da ferrovia para tornar os transportes mais sustentáveis e descarbonizados.

Três comboios, 26 países europeus percorridos em 36 dias, mais de 20.000 quilómetros ao longo de uma viagem que vai atravessar 33 fronteiras. Em pleno Ano Europeu do Transporte Ferroviário, que se comemora em 2021, esta semana vai partir da Gare do Oriente, em Lisboa — a mais ocidental das capitais europeias — o comboio especial Connecting Europe Express“.

Presente no evento, ao lado do primeiro-ministro António Costa e do ministro das Infraestruturas e habitação, Pedro Nuno Santos, vai estar a Comissária para os Transportes, Adina Vălean, naquela que é a sua primeira visita a Portugal.

A iniciativa é da Comissão Europeia e o objetivo é demonstrar — em tempo real — o poder da ferrovia para ligar pessoas e empresas e para tornar os transportes mais sustentáveis e descarbonizados, num continente que se quer neutro em carbono em 2050.

O projeto sublinhará assim a necessidade de financiar infraestruturas mais sustentáveis, nomeadamente através do novo Mecanismo Interligar a Europa (CEF) recentemente aprovado no valor de 33,7 mil milhões de euros, como parte do Orçamento da UE 2021-2027. Entre 2014 e 2020, o financiamento ascendeu a 16,3 mil milhões euros.

Com início no dia 2 de setembro em Lisboa e escala em mais de 70 cidades de 26 países, o comboio fará a ligação entre as Presidências portuguesa, eslovena e francesa do Conselho da UE, chegando a Paris no dia 7 de outubro. A iniciativa conta com mais de 40 parceiros, encabeçados pela CER – Comunidade Europeia de Empresas Ferroviárias e de Infraestruturas. Da lista fazem parte as portuguesas CP – Comboios de Portugal e Infraestruturas de Portugal, além de muitos outros operadores ferroviários europeus, gestores de infraestruturas e outros parceiros a nível europeu e local.

“Atravessando o continente, de Lisboa a Bucareste e de Berlim a Paris, o Connecting Europe Express seguirá rotas que nos unem – seja como países, empresas ou pessoas. Embora seja um símbolo de conectividade, este comboio também serve como um lembrete de que ainda temos um longo caminho a percorrer e muito trabalho a fazer antes que a ferrovia se torne na opção de transporte preferida dos europeus“, disse a Comissária para os Transportes, Adina Vălean, que esta semana estará então em Lisboa para assistir ao momento da partida em plena Gare do Oriente.

Em cada uma das paragens programadas serão organizados eventos e outras atividades para mostrar “o papel fundamental do transporte ferroviário”, mas também os desafios que ainda tem de superar para “atrair mais tráfego de passageiros e mercadorias”.

O presidente da CER e CEO da Austrian Federal Railways, Andreas Matthä, enfatizou: “Para atingir as nossas metas climáticas precisamos de fortalecer ainda mais a vitalidade do transporte ferroviário com mais serviços internacionais de passageiros de longa distância”.

E acrescentou ainda: “Só mudando o tráfego de mercadorias da rodovia para a ferrovia, a Europa será capaz de atingir suas metas climáticas e fazer do Green Deal Europeu um sucesso”.

Para a Comissão Europeia, que promove esta iniciativa, são necessários “grandes esforços para encorajar mais pessoas e empresas a usar os comboios como uma forma de descarbonizar os transportes. Isso ajudaria a UE a cumprir seus ambiciosos objetivos de neutralidade carbónica, como previsto no Green Deal e na Estratégia de Mobilidade Sustentável e Inteligente”.

A viagem do Connecting Europe Express servirá também para enfatizar a falta de interoperabilidade entre algumas partes da rede ferroviária da Europa. Daí a necessidade de três comboios diferentes que se encaixam nas diferentes bitolas (distância entre carris) usadas na Europa.

O Connecting Europe Express quer circulará na “bitola padrão” terá seis carruagens: duas com exposições itinerantes e as restantes quatro serão para realizar conferências, refeições, dormir ou viajar. Um outro comboio circulará na bitola ibérica, em Portugal e na Espanha, e um terceiro na bitola báltica — Estónia, Letónia e Lituânia. Todos se encontrarão ao longo da rota.

Ao longo do percurso do “Connecting Europe Express”, estão previstos vários eventos para acolher o comboio em estações ferroviárias de toda a Europa, incluindo conferências sobre a política de infraestruturas da UE e o papel da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T) em Lisboa, Bucareste, Berlim e Bettembourg.

Em Lisboa, a conferência intitulada Connecting Europe Express“: Ligações ferroviárias de alta velocidade e de cidade a cidade” está agendada para 2 de setembro nas instalações da Agência Europeia da Segurança Marítima.

Nesse mesmo dia, à tarde, e já depois da partida do comboio da Gare do Oriente, terá lugar um debate sobre mobilidade sustentável com a Comissária Europeia dos Transportes, Adina Vălean, e o Secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

26 países em 36 dias. Este comboio vai percorrer a Europa em nome da sustentabilidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião