Estado e empresas juntos. Querem requalificar profissionais para trabalho do futuro

A iniciativa europeia "Reskilling 4 Employment", pretende requalificar um milhão de profissionais no desemprego ou em profissões em risco na Europa, até 2025.

Portugal vai dar início ao primeiro projeto-piloto do programa “Reskilling 4 Employment” (R4E), uma iniciativa inovadora a nível europeu que pretende, até 2025, requalificar um milhão de profissionais no desemprego ou em profissões em risco na Europa, permitindo o desenvolvimento de competências em áreas com maior procura de trabalhadores qualificados. Sonae, SAP e Nestlé e o IEFP são os impulsionadores deste programa em Portugal, em colaboração com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e outras empresas como a EDP, a Delta Cafés e a Sogrape.

“A transformação das economias pela dupla transição climática e digital e potenciada pela crescente utilização de novas tecnologias, tais como a inteligência artificial e a automação, terão um papel cada vez mais preponderante na sociedade e, em especial, nas novas necessidades do mercado de trabalho. A pandemia da Covid-19 veio acelerar estas tendências, tornando ainda mais urgente a necessidade de uma abordagem conjunta à requalificação da população”, pode ler-se em comunicado.

O R4E vem, assim, ajudar a mobilizar instituições dos setores público, privado e social para contribuir para superar este desafio a nível europeu. Desenhado pela European Round Table for Industry (ERT), uma associação que junta cerca de 60 das maiores empresas europeias, o programa tem como objetivo combater o desemprego e promover a requalificação de profissionais para a dupla transição digital e climática.

Estão em preparação projetos-piloto em Portugal, Espanha e Suécia, sendo as primeiras ações de formação agora apresentadas no nosso país.

Primeira ação de formação começa em janeiro

Entre as áreas prioritárias de atuação do programa estão a indústria, o digital, a economia verde, a excelência nas vendas, a agricultura e a saúde. A primeira ação de formação, para técnicos de manutenção, será liderada pela Nestlé, dirigindo-se à requalificação de profissionais para o setor da indústria. A formação irá arrancar já em janeiro, no Serviço de Formação do Porto do IEFP, e terá a duração aproximada de seis meses.

Em breve, serão anunciadas novas ações de formação em diversas áreas profissionais, lideradas por empresas representativas das áreas prioritárias definidas: Sogrape em agricultura, SAP em digital, EDP em economia verde e Delta Cafés em sales excellence.

Os candidatos selecionados terão acesso ao programa de formação tecnológica de cariz intensivo — que inclui formação prática em contexto real de trabalho, acompanhada por um profissional da empresa com experiência na área — bem como ao apoio por parte da rede “PRO_MOV” para encontrarem emprego após conclusão da formação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado e empresas juntos. Querem requalificar profissionais para trabalho do futuro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião