Eletrificar frota de automóveis é a opção mais rentável e sustentável para as empresas

  • Capital Verde
  • 6 Dezembro 2021

As conclusões do estudo “Mobilidade 2022” mostram que os veículo elétricos devem estar na mira dos gestores de frotas, porque permitem uma poupança mensal considerável para as empresas.

Regra geral, são as opções eletrificadas dos veículos que trazem uma maior poupança aos gestores de frota das empresas, face aos modelos movidos a combustíveis fósseis. A conclusão é da terceira edição do estudo “Mobilidade 2022”, levado a cabo pela LeasePlan, que comparou os custos totais de utilização entre as diferentes opções de veículos disponíveis no mercado: diesel, gasolina, híbridos plug-in e 100% elétricos. Isto tendo por base uma empresa com uma frota de média dimensão (entre 50 e 200 veículos).

Em comunicado, Ricardo Silva, diretor comercial da LeasePlan, ressalvou, ainda, que “nas pequenas e médias empresas, a transição para a eletrificação é ainda mais favorável já que o desconto dos fabricantes de automóveis são menores nos motores a combustão interna, pelo que a competitividade dos elétricos ganha assim mais relevo”.

Contudo, o responsável também alertou para as dificuldades que as empresas costumam encontrar na transição, que pediu para que fossem colmatadas o mais rapidamente possível. “As infraestruturas de carregamento, a par dos incentivos, que constituem uma das principais barreiras ativas para a transição, são necessárias mais que nunca e serão um fator determinante para a aceleração dessa transição”, concluiu.

Para fazer uma análise, mais fina, este estudo dividiu-se por nove segmentos – Utilitário, Utilitário SUV, Pequeno Familiar, Pequeno Familiar SUV, Pequeno Familiar Premium, Médio Familiar, Médio Familiar Premium, Grande Familiar Premium e os Furgões. Para Em todos estes segmentos foram analisados os quilómetros feitos por cada um e, depois, foi apresentada a alternativa mais rentável consoante o veículo.

Há apenas dois casos em que os elétricos não compensam: face ao Pequeno Familiar Premium e aos Furgões.

Confira as poupanças dos elétricos em contexto de frota empresarial, face aos restantes combustíveis:

Utilitários:

Neste segmento a opção 100% elétrica é a que traz menos custos, tendo em conta a sua quilometragem de referência (48 meses, 30.000km/ano). Os modelos híbridos e a gasolina têm uma diferença de 4% nos custos, no entanto, além de não haver oferta de híbridos para este segmento, a análise considera que esta diferença não é muito significativa e, por essa razão, são os veículos elétricos que “ganham”.

Utilitário SUV:

Também nesta opção é o veículo 100% elétrico que apresenta menores custos de utilização para o perfil de utilização de referência, com uma diferença material de 8% face aos modelos a gasolina e a diesel. O modelo híbrido plug-in é menos competitivo neste segmento, com diferenças significativas de cerca de 18%.

Pequeno Familiar:

Novamente, o veículo 100% elétrico destaca-se sobre todas as outras motorizações, sendo o veículo a diesel o que mais se aproxima, ainda que com uma diferença de 24%. No entanto, o estudo alerta para a dificuldade de transição deste segmento, uma vez que, apesar de existirem modelos de carrinhas híbridos plug-in, continuam a não existir veículos 100% elétricos neste tipo de carroçaria.

Pequenos Familiares SUV:

Ao contrário do que aconteceu nas análises dos últimos anos, em que o modelo a diesel apresentava sempre os melhores resultados para esta opção, agora são os modelos elétricos a demonstrar uma poupança considerável para este tipo de veículos, que corresponde a cerca de 180 euros mensais, equivalente a 26% dos custos de utilização. Ainda assim, o modelo diesel ficou apenas a 2% de distância, seguido do veículo híbrido plug-in.

Pequenos Familiares Premium:

Este segmento, tal como referido anteriormente, foi um dos que “fugiu à regra”, já que aqui é a versão diesel que apresenta custos mais baixos. Contudo, os modelos 100% elétricos e os híbridos plug-in estão muito próximos, com uma diferença máxima de 2%.

Médio Familiar:

Neste caso, foi o modelo híbrido plug-in que conseguiu ficar em primeiro lugar. Na última análise tinha sido o modelo elétrico a conquistar a primeira posição neste segmento, mas agora apresentou mais 2% de custos do que o plug-in e acabou por ficar em segundo lugar por isso. Ainda assim, o estudo considera-o uma excelente opção para este segmento.

Médio Familiar Premium:

Também nesta opção é o modelo híbrido plug-in que apresenta menos custos de utilização, no entanto, ao contrário do médio familiar, neste segmento o modelo elétrico já fica mais distante do plug-in, com uma diferença de custos 10% maior. A análise acrescenta, ainda, que as restantes motorizações deixam de fazer sentido para as frotas corporativas, visto que apresentam diferenças de 36% a 48% face ao veículo híbrido plug-in.

Grande Familiar:

Mais uma vez, é o plug-in que demonstra maior competitividade neste segmento, seguido do modelo 100% elétrico e do híbrido a diesel, que traduzem um acréscimo de 23% e 24% nos custos mensais, respetivamente. As opções a diesel e a gasolina representam um custo acrescido de 36% e 86%.

• Pequenos Furgões:

Este é outro dos segmentos em que a opção a diesel é, sem dúvida, a mais competitiva, já que apresenta uma diferença de 37% de poupança face ao veículo elétrico. A análise justifica esta diferença pelo facto de ambas as motorizações terem o mesmo enquadramento fiscal e por o custo de aquisição do veículo elétrico ser muito superior ao do veículo a diesel. O veículo a gasolina também não representa uma opção economicamente viável aqui, já que traz custos 18% superiores em relação ao diesel.

Além de identificar oportunidades de transição para os diferentes segmentos de veículos e perfis de utilização que compõem uma frota automóvel, o estudo “Mobilidade 2022” deixa, ainda, algumas recomendações para os diferentes segmentos, aconselhando-os a estarem atentos às renovações das motorizações, de forma a perceberem se lhes podem trazer redução de custos, bem como redução da pegada ambiental das frotas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Eletrificar frota de automóveis é a opção mais rentável e sustentável para as empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião