Emprego cresce menos em Portugal do que na UE

O número de pessoas empregadas cresceu em cadeia menos 0,2 pontos percentuais em Portugal do que na média da União Europeia e da Zona Euro, no terceiro trimestre.

O emprego está a crescer menos em Portugal do que na média dos países da União Europeia, indicam os dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat. Entre julho e setembro, por cá, o número de pessoas empregadas aumentou 0,7% face ao trimestre anterior enquanto no conjunto do bloco comunitário subiu 0,9%.

De acordo com o gabinete de estatísticas, no terceiro trimestre de 2021, o número de pessoas empregadas tanto na Zona Euro como na União Europeia cresceu 0,9%, em cadeia, o que é sinónimo de uma aceleração desse indicador.

Já em termos homólogos, verificou-se um salto de 2,1% do emprego na área da moeda única e no bloco comunitário. “As horas trabalhadas subiram 2,2% na Zona Euro e 1,7% na União Europeia, no terceiro trimestre de 2021, em comparação com o trimestre precedente”, acrescenta o Eurostat, detalhando que, em termos homólogos, o aumento foi de 3,3%.

Entre os Estados-membros, foi na Irlanda, em Espanha e na Lituânia que se registaram as variações positivas mais expressivas do número de pessoas empregadas, face ao trimestre anterior: 4%, 2,6% e 2,1% respetivamente. Já na Letónia, o emprego caiu (-2%) e na Finlândia ficou na linha de água (0%).

Em Portugal, o número de pessoas empregadas cresceu 0,9%, em comparação com o período compreendido entre abril e junho. Ou seja, o emprego em Portugal cresceu menos do que o bloco comunitário. Já em termos homólogos, o emprego português subiu 3,8%, acima dos 2,1% registados tanto na Zona Euro como na União Europeia.

Os dados divulgados esta terça-feira pelo Eurostat dão conta também que o PIB português registou a terceira taxa de crescimento mais elevada entre os Estados-membros da União Europeia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Emprego cresce menos em Portugal do que na UE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião