Fitch prevê desaceleração da subida dos preços das casas na Europa em 2022

  • Lusa
  • 9 Dezembro 2021

A Fitch considera que as pressões sobre a acessibilidade começam a restringir a procura e a provocar potenciais intervenções políticas.

A Fitch Ratings prevê uma desaceleração do crescimento dos preços das casas na Europa em 2022 face a 2021, considerando que as pressões sobre a acessibilidade começam a restringir a procura e a provocar potenciais intervenções políticas, foi anunciado esta quinta-feira.

Num comunicado divulgado quinta-feira, a Fitch afirma que prevê que o crescimento dos preços das casas vai abrandar em seis dos sete países europeus incluídos nas últimas Perspetivas Globais de Habitação e Hipotecas e estima um crescimento de preços geralmente estável em Espanha.

Segundo a Fitch, os motivos continuam a ser a escassez de oferta de imóveis a pedido, acentuada pela mudança das preferências habitacionais durante a pandemia, e as baixas taxas de juro do crédito à habitação.

Os Países Baixos e a Alemanha irão registar um crescimento de dois dígitos em 2021 e este forte crescimento começará a limitar o número de potenciais compradores, mas as restrições de oferta significam que os aumentos de preços em 2022 continuarão a ser elevados por padrões históricos e excederão o crescimento do rendimento em ambos os países, refere a agência de ‘rating’.

A Fitch refere que os bancos alemães aumentaram os valores máximos de empréstimo para novas origens, mas as taxas hipotecárias atingirão o seu ponto mais baixo nos Países Baixos, depois de atingirem valores mínimos históricos em 2021.

Em relação ao Reino Unido, a Fitch prevê uma desaceleração mais acentuada do crescimento dos preços das casas para entre 1% e 3%, depois de ter atingido 9% em 2021.

Os volumes de transações caíram após o fim da isenção do imposto de selo e podem cair ainda mais à medida que as taxas de hipoteca aumentam gradualmente quando o Banco de Inglaterra aumenta a taxa diretora, estima a Fitch.

Na Dinamarca, a Fitch prevê que o crescimento dos preços das casas abrande à medida que a forte procura de propriedades favorecidas pelas pessoas que se deslocam durante a pandemia diminui.

“Esperamos que os decisores políticos e os reguladores, que têm geralmente como alvo os investidores e não os proprietários-residentes, se tornem mais ativos nas preocupações com o sobreaquecimento dos mercados e o elevado endividamento das famílias”, precisa a Fitch.

Os cenários macroeconómicos de apoio e os mercados de trabalho e as baixas taxas de juro manterão as taxas de juro perto ou abaixo de 1% na maioria dos mercados europeus, embora possam surgir pequenos aumentos à medida que as medidas de apoio devido à pandemia forem sendo gradualmente retiradas, considera ainda a Fitch.

Os outros dois países europeus incluídos no relatório Perspetivas Globais de Habitação e Hipotecas da Fitch são Itália e França.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fitch prevê desaceleração da subida dos preços das casas na Europa em 2022

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião