Das tardes livres à revisão salarial semestral. O que mudou com a nova CEO do Portal da Queixa

Três meses depois de assumir o cargo de CEO, Sónia Lage Lourenço já começou a estabelecer novas medidas. Deu as tardes de sexta-feira, a possibilidade de trabalho 100% remoto e quer rever salários.

Bastaram três meses e as mudanças que Sónia Lage Lourenço colocou em marcha no Portal da Queixa são já notórias. Tardes de sexta-feira livres, a possibilidade de trabalho 100% remoto e revisões salariais a cada seis meses são algumas medidas que a, desde outubro, CEO do Portal da Queixa implementou na empresa beneficiando quase duas dezenas de trabalhadores. O objetivo é oferecer maior “liberdade de ação” aos colaboradores e, com isso, influenciar positivamente o negócio.

“Enquanto gestores, temos de saber olhar para os colaboradores como uma extensão de nós próprios. Por conseguinte, é fundamental equilibrar entre aquilo que é possível fazer e o que gostaríamos que fizessem por nós, enquanto colaboradores de uma empresa”, começa por afirmar Sónia Lage Lourenço, à Pessoas.

Já os resultados deste tipo de medidas têm sido positivos, nomeadamente ao nível da produtividade. “O feedback tem sido extraordinário. Esta liberdade de ação trouxe um maior comprometimento e temos sentido uma evolução muito substancial da produtividade no final de cada período de trabalho.”

Esta liberdade de ação trouxe um maior comprometimento e temos sentido uma evolução muito substancial da produtividade no final de cada período de trabalho.

Sónia Lage Lourenço

CEO do Portal da Queixa

“A vontade de cumprir com os objetivos depende muito da motivação que conseguimos incutir nos colaboradores, e esta nem sempre é a consequência do valor monetário que cada um de nós leva para casa todos os meses. É necessária uma estabilidade psicológica, quase que maternal, que transmita segurança, estabilidade e confiança todos os dias, mesmo nos mais difíceis”, explica.

Trabalho remoto

Oferecer flexibilidade de horário e de modelo de trabalho é precisamente uma das formas de potenciar esse equilíbrio entre vida pessoal e profissional, capaz de fidelizar colaboradores e mantê-los motivados e produtivos. Com um modelo de trabalho remoto a 100% desde março de 2020, momento em que a pandemia da Covid-19 surgiu nas nossas vidas, quando o teletrabalho passou apenas a ser recomendado e não obrigatório, o Portal da Queixa decidiu continuar a permitir que as suas equipas trabalhassem a partir de casa.

“Claro que nesse momento colocámos as nossas instalações à disposição de todos os colaboradores, contudo, aproveitámos o momentum para mudar a dinâmica de trabalho a que estávamos habituados, criando novas formas de comunicar internamente”, detalha. Aproveitando essa flexibilidade, e olhando para a pool de talento sem barreiras geográficas, a empresa começou também a contratar fora da área geográfica do grande Porto, e até fora de Portugal. Neste momento conta com 18 pessoas a colaborar diretamente em território nacional e no estrangeiro.

Apesar de ter sido uma decisão impulsionado pela pandemia, a rede social de consumidores de Portugal já não tenciona revertê-la. “Depois do choque inicial da pandemia, percebemos que tudo pode mudar radicalmente de um dia para o outro. Por isso, iremos continuar com modelo híbrido, no qual as equipas podem escolher trabalhar remotamente e/ou no escritório.”

Revisão salarial a cada seis meses

Já para fomentar o desenvolvimento e progressão da carreiras das suas pessoas, o líder do Portal da Queixa decidiu implementar uma revisão salarial semestral, ou seja, a cada seis meses, os colaboradores veem avaliados os seus resultados individuais, bem como o seu contributo em equipa.

“O objetivo desta medida é não permitir a estagnação de nenhum elemento na equipa, por isso, se o colaborador estiver enquadrado com o nosso propósito, iremos a cada seis meses rever as suas condições, no sentido que a sua evolução seja o reflexo da nossa”, explica.

Tardes de sexta-feira livres

Outras das mudanças implementadas por Sónia Lage Lourenço, e muito bem recebida por todas as equipas, foram as tardes livres à sexta-feira. Estas horas extra permitem que os colaboradores tenham mais tempo livre por semana e que o aproveitem “para estarem com a família” e para se “divertirem em momentos de lazer”. A CEO do Portal da Queixa acredita que estas tardes livres podem melhorar significativamente a qualidade de vida das pessoas.

“Está na génese do Portal da Queixa by Consumers Trust o reconhecimento de quem trabalha connosco. Temos plena consciência que só conseguiremos alcançar os nossos objetivos com uma equipa forte e unida. Isso, certamente só é possível se os nossos colaboradores estiverem satisfeitos, tanto a nível profissional como pessoal. Por isso, temos sempre uma grande preocupação em implementar medidas que melhorem a qualidade de vida dos nossos colaboradores.”

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Das tardes livres à revisão salarial semestral. O que mudou com a nova CEO do Portal da Queixa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião