Mercadona vai aumentar em 2,7% colaboradores em Portugal

Cadeia justifica a decisão para que os colaboradores não percam poder de compra. Medida aplica-se já em janeiro e é transversal a todos os colaboradores.

A Mercadona vai aumentar em 2,7% os salários dos cerca de 2.300 colaboradores em Portugal, adiantou fonte oficial do retalhista alimentar à Pessoas. A cadeia espanhola junta-se assim, no retalho alimentar, ao grupo Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce e Recheio, e do Lidl que já anunciaram aumentos nas remunerações de entrada para este ano.

“A Mercadona, como faz e sempre fez, vai aumentar o salário dos seus colaboradores de acordo com o Índice de Preços do Consumidor (IPC) do país acumulado no final do ano: 2,7 %”, adianta fonte oficial da cadeia de supermercados à Pessoas. “Em coerência com o ‘Modelo de Qualidade Total’ da empresa, passaremos a aplicá-lo a partir de janeiro deste ano, para que os nossos colaboradores e colaboradoras não percam poder aquisitivo“, acrescenta.

Em Espanha, a Mercadona confirmou na sexta-feira um aumento de 6,5% para os seus mais de 93 mil funcionários neste mercado, para garantir o seu poder de compra face à subida do IPC neste país. Depois de o Instituto Nacional de Estadística (INE) ter confirmado em dezembro um IPC de 6,5%, a companhia reviu em alta o aumento previsto, pouco mais de um mês depois de ter confirmado a intenção de, em 2022, atualizar os salários em 5%. Com esta subida, a cadeia fundada por Juan Roig cumpre o acordo coletivo, fechado em dezembro de 2018 com os sindicatos UGT e CCOO, que determina que a atualização salarial será feita tendo como referência o IPC de dezembro publicado pelo INE.

Em Portugal, apesar desse acordo com os sindicatos não vigorar, o IPC é igualmente a referência usada. “É nossa responsabilidade, como empresa socialmente responsável, continuar a aplicar iniciativas para satisfazer as pessoas que compõem a nossa equipa. O colaborador é um ativo muito importante, se queremos ter clientes satisfeitos temos de ter colaboradores satisfeitos”, refere fonte oficial da Mercadona.

Além desta atualização, os colaboradores auferem ainda do aumento de 11% previsto, com a subida de escalão, nos primeiros cinco anos de casa. “Os trabalhadores da Mercadona têm contrato de efetivo desde o primeiro dia de trabalho. Passam por cinco escalões (aproximadamente os primeiros cinco anos de empresa) em que, de escalão para escalão, têm um aumento salarial de 11%”, esclarece a mesma fonte.

A atualização salarial agora conhecida surge no ano em que a companhia se prepara para dar os primeiros passos na expansão da cadeia de supermercados a Sul, com o arranque da construção do futuro bloco logístico de Almeirim, para suportar operação no centro/sul do país. Montijo, Setúbal, Santarém e Sintra são as localizações de supermercado já conhecidas.

A cadeia está, neste momento, a contratar para a plataforma logística de Póvoa de Varzim — onde investiu 24,5 milhões de euros numa terceira nave –, bem como para toda a rede de lojas e logística. Tem cerca de 500 vagas em aberto.

Fechou o ano passado com 29 lojas e mais de 2.300 colaboradores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mercadona vai aumentar em 2,7% colaboradores em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião