Quer saber se foi vítima do ciberataque à TAP? Não precisa de ir à “dark web”

Plataforma que permite saber se está entre as vítimas de ciberataques conhecidos adicionou suporte para as vítimas do ciberataque à TAP. Saiba como ver se foi "apanhado".

A TAP foi alvo de um ciberataque em agosto e os dados pessoais de milhares de clientes foram comprometidos, incluindo os de Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa. Mais de 580 GB de informação privada foi publicada pelos hackers esta semana, expondo as vítimas a possíveis ataques secundários.

Os dados foram publicados numa parte restrita da internet, mas não tem de aceder à dark web para saber se foi uma das vítimas da falha de segurança. Há vários anos que a plataforma Have I Been Pwned? permite verificar se um determinado email ou número de telefone foram comprometidos nos milhares de ciberataques que vão sendo conhecidos. E, esta sexta-feira, a ferramenta passou a dar suporte às vítimas da companhia aérea portuguesa.

Assim, para confirmar se foi “apanhado” no ciberataque à TAP, basta entrar no site, indicar o seu email e carregar no botão “pwned?” (pode repetir o processo com o seu número de telemóvel ou telefone). Caso os seus dados estejam entre a informação roubada pelos hackers, o site abrirá uma página a vermelho com a indicação “Oh no – pwned!” e o logótipo da TAP na lista “Breaches you were pwned in”, que aparecerá mais abaixo.

Passo a passo:

  1. Aceda ao site Have I Been Pwned?;
  2. Insira o seu email ou contacto telefónico;
  3. Carregue no botão “pwned?”;
  4. Veja se a TAP aparece na lista.

Isto é o que verá se os seus dados tiverem sido expostos:

Fonte: Have I Been Pwned?

Tenha em conta que o site verifica todas as bases de dados já expostas em ciberataques, mesmo a outras empresas. É possível que a plataforma abra a mesma janela a vermelho, mas que a fuga de dados da TAP não esteja nessa lista. Este site foi criado pelo especialista em segurança Troy Hunt em 2013, que trabalha na Microsoft, e tem ganhado notoriedade ao longo dos anos.

Se vir que os seus dados foram comprometidos, não há motivo para entrar em pânico, mas existem algumas medidas que poderá querer tomar para ficar mais protegido. A TAP recomenda que mude a password dos serviços (poderá querer fazer o mesmo para contas que tenha registadas com esses dados noutras empresas ou plataformas) e ative, sempre que possível, a autenticação a dois passos (password e SMS, por exemplo).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quer saber se foi vítima do ciberataque à TAP? Não precisa de ir à “dark web”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião