“Não vamos passar a ser um banco cripto, o cripto é que vai passar a fazer parte do BCP”, diz economista-chefepremium

José Maria Brandão de Brito passou a desempenhar funções de diretor de sustentabilidade e criptoativos do BCP. Banco quer posicionar-se face a moedas digitais, criptoativos e à tecnologia blockchain.

O BCP quer aproveitar as potencialidades dos criptoativos e da tecnologia blockchain, adaptando o negócio à inovação. Para isso, o banco criou uma nova direção interna, liderada por José Maria Brandão de Brito. O até aqui economista-chefe mantém esse cargo, que acumula com o de diretor de sustentabilidade e criptoativos. Em entrevista ao ECO, explica que o cripto vai passar a fazer parte do BCP. Brandão de Brito tem como principais missões preparar a chegada do euro digital (incluindo os desafios tecnológicos que trará para a banca) e explorar as p ossibilidades de tokenizarativos financeiros e reais ou de vender serviços financeiros em blockchain. Antecipa que achegada das moedas digitais soberanas potencie as criptomoedase c onsidera que, no futuro, qualquer pessoa terá numa mesma

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos