“Não vamos vender o Banco Montepio. Vamos abrir o capital, mantendo o controlo”premium

Pedro Corte Real faz uma avaliação muito positiva do trabalho da atual administração do Banco Montepio. Adianta que futuro do banco passará por uma parceria com investidor que olhe para o longo prazo.

Pedro Corte Real admite abrir o capital do Banco Montepio a outros investidores, numa lógica de longo prazo, mas sem abdicar do controlo da instituição. "Vamos definir um conjunto de encargos para um parceiro que queira sentar-se connosco à mesa e ajudar a gerir o banco num cenário de longo prazo, a 40 anos, 50 anos ou 60 anos", adiantou o candidato da Lista B nas eleições para a Associação Mutualista Montepio Geral. Em entrevista ao ECO, Pedro Corte Real faz uma "avaliação muitíssimo positiva" do trabalho da atual administração do banco, tendo em conta o comportamento "errático e completamente alheado" do acionista. Mas ainda não definiu se vai reconduzir a equipa de gestão liderada por Pedro Leitão, se vencer as eleições de 17 de dezembro. Disse na apresentação que pretendia vender

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos