“Vale a pena repensar a existência do Banco Empresas Montepio”premium

Pedro Gouveia Alves defende a extinção do Banco Empresas Montepio, lançado por Carlos Tavares em 2019, e aponta ainda para uma redução da administração do Banco Montepio, se vencer as eleições.

Lançado em 2019 por Carlos Tavares, o Banco de Empresas Montepio pode estar em vias de extinção, caso Pedro Gouveia Alves vença as eleições para a Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG). "Vale a pena repensar se há necessidade de termos um banco específico para empresas ou um serviço robusto, específico e autónomo dentro da própria estrutura do banco", admite o candidato da Lista D em entrevista ao ECO. Pedro Gouveia Alves, 52 anos, também considera que o tamanho do atual conselho de administração do Banco Montepio "é desadequado e desajustado"para o seu tamanho e pretende reduzi-lo se for eleito presidente da mutualista no dia 17 de dezembro. Não exclui a abertura do capital do banco a mais investidores, mas só a partir do momento em que "houver uma proposta de valor" para a

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos