• Especial por:
  • Pessoas

A importância da formação antes e depois da entrada no mercado de trabalhopremium

A gestão de desafios, a adaptação à imprevisibilidade e à mudança são alguns dos pontos que as novas ofertas formativas dispõem. A aposta em melhorar o ensino ajuda as escolas, mas também as empresas.

Todos os dias a sociedade caminha para novas metas, novos conhecimentos e os avanços vão acontecendo. No entanto, para que as evoluções sejam sentidas e feitas em massa, é preciso que todos acompanhem os progressos e se vão adaptando a novos modelos de aprendizagem e, até, de trabalho. A chegada da pandemia foi um bom exemplo da necessidade de preparação para o novo e desconhecido, mas também a impulsionadora de uma digitalização forçada que, ao que parece, veio para ficar. Mas, com tanta coisa a acontecer, como fica a formação das pessoas? Será que os alunos vêm preparados das escolas e universidades para estas mudanças? Será que aquilo que aprendem continua adequado ao mundo atual e futuro? E as empresas? Recrutam, mas continuam a apostar na formação dos colaboradores? Como é que isto

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos
  • Pessoas