No improviso é que se trabalham os imprevistos (e não só)premium

Com a metodologia desenvolvida pela The Human Story, as equipas trabalham competências como a comunicação e a criatividade com técnicas de teatro. E acabam também por desenvolver o trabalho de equipa.

Um ecologista que se comporta como apoiante de Trump em matéria de clima e sustentabilidade ou uma mulher que defende a desigualdade de género e de salários em prol dos homens, para apontar apenas dois exemplos. Sair da zona de conforto e argumentar sobre alguma posição, mesmo que não se concorde com ela, é um dos exercícios propostos pela equipa do The Human Story. A ideia? Estimular um diálogo entre dois lados em que, à partida, os participantes já têm uma posição definida mas no qual se coloca as pessoas em lugares antagónicos. “Conseguimos levar a pessoa nesta viagem de perceber efetivamente que nunca tinha pensado daquela forma, e isso é um desafio. Usámos essa dinâmica, com o tema de igualdade de salários, num grupo de mulheres CEO, de várias indústrias em Portugal. Tinham de ser a

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos