Teletrabalho até ao fim do ano? Tech sem resistências mas no têxtil a realidade é outrapremium

Nas empresas tecnológicas, trabalhar remotamente não é um problema mas no setor têxtil a realidade é outra. Para estes, a possibilidade de prolongar o teletrabalho é considerada um "desastre".

O Governo anunciou esta quinta-feira que decidiu prolongar até ao final deste ano o teletrabalho obrigatório e o desfasamento dos horários de entrada e saída nas empresascom estabelecimentos nas áreas territoriais mais afetadas pela pandemia da Covid-19. A notícia foi recebida, por um lado, sem grande surpresa mas, por outro, de forma quase "inesperada", tendo em conta a sua extensão temporal. Contudo, trabalhar a partir de casa não é fácil nem óbvio em todos os setores.Se, no setor tecnológico, trabalhar remotamente não é um problema e já era uma prática aplicada em várias empresas mesmo antes da pandemia, no setor têxtil, por exemplo, a realidade é outra. A medida que prolonga o teletrabalho é vista, neste caso, como "um desastre". Dos 1.100 colaboradores da têxtil Riopele, apenas

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos