Tem um Galaxy Note 7? Troque-o a partir da próxima semana

Depois de terem sido registadas várias explosões de telemóveis Galaxy Note 7, a Samsung iniciou a recolha de um milhão de unidades nos EUA. Em Portugal, o programa de trocas começa a 19 de setembro.

O programa de troca dos telemóveis Samsung Galaxy Note 7 em Portugal começa na próxima segunda-feira, 19 de setembro, revelou a empresa em comunicado. O anúncio surge quase três semanas semanas depois terem sido registados os primeiros problemas associados ao sobreaquecimento das baterias dos telemóveis, e que terá resultado mesmo na explosão de alguns aparelhos. A recolha será feita “de forma progressiva” e desconhece-se o número exato de aparelhos defeituosos vendidos em Portugal.

Segundo informou a empresa, o cliente final tem pode entregar o telemóvel na loja em que o adquiriu e aguardar pela “troca por nova unidade”, ou trocá-lo por um Galaxy S7 ou S7 Edge, “recebendo a devolução do valor da diferença”.

Esta quinta-feira, a Samsung começou também a recolher os Note 7 nos Estados Unidos da América (EUA). O programa de troca, realizado em conjunto com a Consumer Product Safety Comission (CPSC) norte-americana, abrange cerca de um milhão de dispositivos naquele país. Em todo o mundo, terão sido entregues cerca de 2,5 milhões de unidades.

No caso dos EUA, os telemóveis em causa foram vendidos antes de 15 de setembro e o programa de recolha do mais recente flagship da Samsung prevê, para cada unidade recolhida, uma destas três opções:

  • A troca do telemóvel defeituoso por uma nova unidade, testada e aprovada pela CPSC e que estará disponível, no máximo, até 21 de setembro;
  • A troca do telemóvel defeituoso por um Galaxy S7 ou S7 Edge e reembolso ou troca dos acessórios já adquiridos;
  • O reembolso da totalidade do valor do aparelho.

Para já, tanto a Samsung como a CPSC recomendam a troca imediata dos telemóveis em questão, por representarem “um risco para a segurança” para os utilizadores. “É extremamente importante que pare de usar o seu aparelho e que o desligue e o troque imediatamente”, lê-se numa página que a Samsung criou para verificar, através do número de série, a elegibilidade de determinada unidade para o programa.

Há 92 casos registados

O problema do Galaxy Note 7 foi reconhecido pela Samsung a 2 de setembro, altura em que já havia registo de 35 casos de problemas relacionados com as baterias dos telemóveis. Nessa altura, começava a feira internacional de tecnologia IFA, em Berlim, onde a Samsung também estava representada. Desde então, as vendas do telemóvel foram suspensas e o preço das ações da Samsung na bolsa sul-coreana chegaram a derrapar quase 10%, mas têm vindo a recuperar da queda nos últimos dias. Agora, os dados apontam para 92 casos registados, incluindo 55 casos de danos em propriedade e 26 casos de queimaduras.

Um relatório da empresa de análise de dados Apteligent, citado pelo site The Verge, refere que “a taxa de utilização do telemóvel [Note 7] entre os utilizadores existentes tem-se mantido exatamente a mesma” nas últimas semanas, o que indica que, mesmo apesar das recomendações da fabricante, os utilizadores parecem não estar muito preocupados com o assunto.

Um Samsung Galaxy Note 7 em exposição na feira de tecnologia IFA, em Berlim
Um Samsung Galaxy Note 7 em exposição na feira de tecnologia IFA, em BerlimFlávio Nunes/ECO

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tem um Galaxy Note 7? Troque-o a partir da próxima semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião