Galaxy Fold chega hoje às lojas. Estas são as cinco regras da Samsung para não o partir

O telemóvel dobrável da Samsung chegou esta segunda-feira a Portugal. Das canetas aos ímanes, conheça as recomendações da marca para proteger este equipamento de mais de 2.000 euros.

O Galaxy Fold chegou a Portugal. O ecrã pode ser dobrado ao meio, como se fosse um pequeno livro.

O telemóvel dobrável da Samsung chega esta segunda-feira às lojas portuguesas, meses depois de ter sido apresentado pela marca sul-coreana. Mas se está a pensar investir os 2.049 euros pedidos pelo Galaxy Fold, vale a pena conhecer as recomendações da Samsung para não ficar com uma metade em cada mão.

Por ser um aparelho inovador, com um ecrã que dobra ao meio (e dobra mesmo), o Galaxy Fold é, necessariamente, um equipamento mais frágil do que um telemóvel dito “normal”. E apesar de a Samsung não o reconhecer de forma clara, o certo é que, noutros países, o Galaxy Fold tem sido vendido em conjunto com um “manual de cuidados”, para que todos os utilizadores aprendam a cuidar desta coqueluche da alta tecnologia.

Como notou a jornalista Joanna Stern, crítica de tecnologia do The Wall Street Journal, o dobrável da Samsung não traz um, mas dois avisos bem expressivos sobre os cuidados a ter com o aparelho. Algumas recomendações são básicas e de senso comum, mas outras são relativamente específicas, o que motivou a jornalista a publicar um artigo intitulado: O telemóvel de 2.000 dólares do futuro chegou. Por favor, não o parta.

Todo o cuidado é pouco

Estas são as principais recomendações da Samsung para cuidar melhor do seu Galaxy Fold (e proteger o seu investimento).

🖊️ Evite objetos afiados e pontiagudos

A Samsung recomenda “não pressionar o ecrã com objetos duros ou afiados, como canetas ou a unha” nem “aplicar pressão excessiva” no ecrã do Galaxy Fold.

❌ Não feche o ecrã com objetos no meio

Quando dobrar do Galaxy Fold ao meio, não coloque objetos como cartões, moedas e chaves dentro do mesmo, pede a Samsung.

💧 Fuja da água e do pó

“O telemóvel não é resistente à água nem ao pó. Não o exponha a líquidos ou a pequenas partículas”, lê-se no aviso.

✋ Esqueça as películas

“Não fixe qualquer adesivo como películas ou autocolantes ao ecrã principal, nem remova a camada protetora”, pede a Samsung.

🧲 Cuidado com os ímanes

Ímanes são um grande no no para o Galaxy Fold. “Mantenha uma distância segura de qualquer outro equipamento ou objeto que possa ser afetado por ímanes, tais como cartões de crédito ou implantes médicos. Se tiver um implante, consulte o seu médico antes de usar este telemóvel“, indica a marca.

A dobradiça avançada do Samsung Galaxy Fold permite dobrar o ecrã ao meio.

Dobradiça para 100 utilizações diárias

Os avisos poderão dar a ideia de que o Samsung Galaxy Fold é demasiado frágil. O facto de vir acompanhado por uma capa fabricada em kevlar (o mesmo material com que são feitos os coletes à prova de bala) também contribui para essa perceção.

No entanto, a marca garante que o Galaxy Fold foi desenhado para durar até cinco anos. Quando anunciou o lançamento do telemóvel em Portugal em novembro, José Correia, diretor de marketing da empresa no país, garantiu que a dobradiça inovadora que permite ao Fold dobrar ao meio suporta 200 mil aberturas ou fechos em cinco anos — ou seja, uma taxa de 100 aberturas ou fechos por dia.

Importa recordar que o lançamento do Galaxy Fold nos principais mercados internacionais teve de ser adiada pela Samsung, depois de vários jornalistas terem reportado que o aparelho deixou de funcionar ao fim de dois dias. Depois disto, os engenheiros da Samsung estiveram a aprimorar o equipamento, que foi alvo de sérias melhorias.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Galaxy Fold chega hoje às lojas. Estas são as cinco regras da Samsung para não o partir

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião