BCP: “Substanciais progressos” na negociação com Fosun

Comissão executiva do BCP vai agora finalizar as negociações com a Fosun, que quer ficar com 30% do capital do banco português.

As negociações para a entrada da Fosun no capital do BCP conheceram “substanciais progressos”, anunciou, esta quarta-feira, o banco português, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

“O BCP informa que, em reunião de ontem, o seu conselho de administração apreciou favoravelmente o desenvolvimento, com substanciais progressos, das negociações com a Fosun Industrial Holdings“, refere o comunicado.

O banco liderado por Nuno Amado volta também a frisar que o conselho de administração constatou “a evolução favorável já registada quanto ao preenchimento das condições suspensivas a que o investimento proposto pela Fosun foi sujeito”. Contudo, há ainda “condições por verificar, entre as quais as relativas às aprovações pelas entidades de supervisão bancária”.

Seja como for, as negociações entram agora em reta final. “O conselho decidiu mandatar a comissão executiva para prosseguir e finalizar com exclusividade as negociações com a Fosun, e apresentar os respetivos resultados para aprovação em próxima reunião do conselho de administração”.

O comunicado desta quarta-feira surge dias depois de o Governo ter criado um novo regime que permite às empresas cotadas concretizar a fusão de ações, que é precisamente uma das condições que a Fosun impôs ao BCP para entrar no capital do banco.

A proposta dos chineses passar por ficar, numa primeira fase, com 16,7% do capital do BCP, através de um aumento de capital reservado exclusivamente à Fosun. Numa segunda fase, o grupo chinês pretende aumentar esta participação, através do mercado secundário ou de novos aumentos de capital, para passar a deter 20% a 30% do BCP.

Na proposta apresentada no final de julho, a Fosun refere ainda que o preço de subscrição do aumento de capital será “não superior” a dois cêntimos (com ajustamento decorrente da fusão de ações).

A “concretização e registo do processo de reverse stock split [ou fusão de ações] nos termos aprovados pela assembleia-geral do passado dia 21 de abril”, uma das principais condições impostas pela Fosun, também já ficou tratada esta quarta-feira, com a aprovação da fusão de ações.

Após a divulgação destes comunicados, o BCP abriu a negociação a disparar 3%, para 1,55 cêntimos.

(Notícia atualizada pela última vez às 8h23)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP: “Substanciais progressos” na negociação com Fosun

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião