Há mais de 13 anos que a Segurança Social não pagava tão poucos subsídios de desemprego

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 3 Outubro 2016

Prestações de desemprego chegaram a 215,3 mil pessoas em agosto.

O número de prestações de desemprego pagas pela Segurança Social continua em queda. Em agosto, foram processados 215,3 mil subsídios, ainda menos do que em julho, que contabilizou pouco mais de 218 mil beneficiários. Para encontrar um número inferior ao registado nestes dois meses, é preciso recuar a janeiro de 2003.

Os dados atualizados pela Segurança Social dão conta de uma quebra mensal de 1,3% — e homóloga de 17,1% — no número de pessoas que receberam prestações de desemprego em agosto, incluindo não só o subsídio mais comum como também os apoios de cariz social. Os subsídios sociais de desemprego destinam-se a pessoas inseridas em agregados de baixos rendimentos que, ou não têm carreira contributiva para aceder à prestação principal, ou já esgotaram esta prestação.

Número de beneficiários com prestações de desemprego

 

Para acederem a estes subsídios, os desempregados têm, entre outras exigências, de estar inscritos no centro de emprego. Em agosto, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) contabilizava 498.763 desempregados, o que significa que, nesse mês, 56,8% dos inscritos não receberam subsídio. Os dados do IEFP também revelam que o número total de desempregados inscritos tem registado quebras homólogas sucessivas, ainda que agosto tenha marcado um aumento mensal.

Porém, a realidade do desemprego não se esgota aqui, uma vez que nem todos os que procuram um novo posto de trabalho se registam no IEFP. Os dados, ainda provisórios, do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para uma população desempregada (entre 15 e 74 anos) de 561,8 mil pessoas.

Comentários ({{ total }})

Há mais de 13 anos que a Segurança Social não pagava tão poucos subsídios de desemprego

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião