Deutsche Bank volta às quedas e arrasta setor

As ações do banco recuam quase 3%, pressionadas pela falta de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA. Deutsche Bank entre as maiores queda da banca europeia.

O Deutsche Bank está novamente sob pressão. As ações do banco germânico seguem em forte queda, perante as notícias que apontam para a ausência de acordo com o departamento de Justiça norte-americano face à multa de que a instituição financeira é alvo nos EUA.

Os títulos do banco liderado por John Cryan recuam 2,65%, para os 11,77 euros, arrastando o setor financeiro europeu que é o mais penalizado do índice Stoxx Europe 600. O setor da banca europeia perde 1,31%.

Ações do Deutsche Bank na última semana

Fonte: Bloomberg (Valores em euros)
Fonte: Bloomberg (Valores em euros)

 

A quebra das ações do Deutsche Bank acontece depois de o Bild ter noticiado na edição deste domingo que o presidente executivo do banco alemão foi incapaz de chegar a um acordo com o Departamento de Justiça norte-americano no sentido de baixar o valor da multa de que é alvo, numa reunião que decorreu em Washington.

Segundo a publicação germânica, John Cryan, esteve presente no encontro que sentou à mesma mesa as duas partes, com o objetivo de ajudar nas negociações, missão que parece ter falhado. Fonte oficial do Deutsche Bank, não confirmou contudo, a notícia avançada pelo Bild. O mesmo aconteceu com o Departamento de Justiça norte-americano.

 

A ausência de acordo não significa, contudo, o fim das negociações que visam baixar os 12,5 mil milhões de euros (14 mil milhões de dólares) do valor da multa que o banco germânico é alvo nos EUA pela venda de ativos imobiliários de baixa qualidade durante a crise do subprime. Uma fonte próxima que não se quis identificar sinalizou que as discussões continuam entre os responsáveis do Deutsche Bank e as autoridades norte-americanas.

De salientar que as preocupações em torno da capacidade financeira do banco alemão para conseguir fazer face ao pagamento da multa de que é alvo nos EUA arrastaram as suas ações para mínimos históricos no final do último mês. Para além da multa nos EUA anunciada em setembro, o Deutsche Bank enfrenta a ameaça de outras custas legais, incluindo um processo que decorre na Rússia, que os analistas do Barclays estimam possa custar ao banco pelo menos dois mil milhões de euros. Em junho, o Deutsche Bank colocou de lado 5,5 mil milhões de euros para fazer face a custas legais, montante claramente insuficiente para fazer face a multas dessa ordem.

Os previsíveis elevados custos legais que o banco enfrenta colocam reticências relativamente à saúde financeira de um banco que já avançou a possibilidade de apresentar prejuízos em 2016, pelo segundo ano consecutivo. A possibilidade de o banco ter de fazer um aumento de capital também tem sido avançada.

 

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Deutsche Bank volta às quedas e arrasta setor

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião