Facebook pagou quase mil vezes mais impostos em 2015

  • Marta Santos Silva
  • 10 Outubro 2016

A maior rede social do mundo pagou mais impostos no Reino Unido, mas também incluiu um enorme desconto futuro nas suas declarações fiscais.

O Facebook pagou mil vezes mais impostos no Reino Unido em 2015 do que em 2014, quando pagou apenas 4851 euros. É o que revelam as declarações fiscais da empresa, divulgadas esta segunda-feira, que mostram ainda que a maior rede social do mundo gerou um crédito fiscal de 12,5 mil milhões de euros — uma espécie de desconto que pode ser usado em pagamentos seguintes às autoridades britânicas.

O jornal britânico The Guardian faz questão de sublinhar que o Facebook UK, o braço do Facebook no Reino Unido, gerou este benefício fiscal apesar de um lucro global de 5,18 mil milhões de euros. A empresa pagou 4,6 milhões de euros em impostos ao Reino Unido — um valor que é inferior ao crédito que declarou em 2015.

Pagar mais impostos do que em 2014 fica bem à gigante norte-americana, após a Apple ter sido acusada pela Comissão Europeia de cometer fraude fiscal por declarar as suas receitas europeias em Dublin, na Irlanda. As autoridades europeias consideraram que a empresa era injustamente favorecida relativamente à concorrência e decidiam que a Irlanda deveria recuperar 13 mil milhões de euros em impostos que a Apple não tinha pago — decisão da qual a Irlanda recorreu.

De Dublin para Londres

Também o Facebook declarou, até abril deste ano, todas as vendas de publicidade no Reino Unido como realizadas pelo seu escritório em Dublin, o que reduzia os impostos que pagava em Londres. Em março, a empresa anunciou que começaria a direcionar uma parcela maior dos seus lucros para os escritórios britânicos, que até aí declaravam apenas prestar “ajuda de vendas e ajuda de marketing” a outras empresas do grupo. O então chanceler britânico George Osborne tinha anunciado nesse mês a introdução de uma taxa punitiva para as empresas que estivessem a evitar artificialmente declarar a sua atividade no Reino Unido.

Prevê-se que com este acrescento aos lucros da empresa no Reino Unido, os impostos pagos sejam bastante mais altos em 2016, assim como os lucros declarados.

Mas porque pagou o Facebook impostos quase mil vezes mais altos em 2015 relativamente a 2014? Segundo a Quartz, o montante não se explica pelo aumento dos lucros, que, embora tenham praticamente duplicado, foram acompanhados por um aumento dos prejuízos de 31,5 milhões de euros para 47,7 milhões. O dobro dos lucros não explica um aumento de quase mil vezes nos impostos.

O investigador em contabilidade da Universidade de Essex, Prem Sikka, escreveu numa coluna de opinião citada pela Quartz que o aumento se deve às despesas administrativas, que chegaram aos 283 milhões de euros no Reino Unido em 2015, segundo as declarações divulgadas ontem. Estas despesas são os pagamentos feitos entre os vários braços de uma multinacional, dos quais nenhuma grande empresa divulga dados específicos.

Na semana passada, a primeira-ministra britânica Theresa May deixou um recado às multinacionais na conferência do partido Conservador. “Se for uma empresa internacional que trata as leis fiscais como se fossem um extra opcional”, disse a primeira-ministra, “fica de sobreaviso. Isto não pode continuar”.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Facebook pagou quase mil vezes mais impostos em 2015

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião