Seedrs abre escritório em Berlim

Escritório será responsável por fomentar relações com startups da Alemanha, Áustria e Suíça.

Depois de Lisboa, Londres, Nova Iorque e Amesterdão, a Seedrs tem nova conquista na sua expansão internacional. A maior plataforma de equity crowdfunding na Europa, fundada pelo português Carlos Silva, acaba de anunciar que vai abrir um escritório em Berlim, na Alemanha.

O novo escritório será responsável por criar e fomentar relações entre as startups da região da Alemanha, Áustria e Suíça, bem como por captar novos negócios que possam recorrer ao financiamento na plataforma.

“Estamos muito contentes com o lançamento do escritório em Berlim, que surge depois de termos entrado na região do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), através do escritório em Amesterdão”, afirma Carlos Silva, citado em comunicado. Para o cofundador e presidente da Seedrs, “a presença na Alemanha é um passo importante, por permitir trabalhar nos três países e ajudar a atingir o objetivo de tornar a Seedrs num player mundial de financiamento de startups e de crescimento de empresas em toda a Europa”.

Kyrill Zlobenko será o diretor regional do novo escritório. O responsável foi escolhido “pela sua experiência como empreendedor e empresário, tendo sido responsável por várias sociedades de capital de risco na Suécia, Alemanha, Canadá, Itália, Áustria, Polónia, Ucrânia e Rússia”, refere o comunicado enviado esta tarde às redações.

Além da nova aposta em Berlim, a Seedrs está a reforçar a equipa do escritório em Lisboa. A empresa está àprocura de um financial controller e um design director.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seedrs abre escritório em Berlim

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião