OPA do CaixaBank sobre BPI aprovada pelo BCE

  • Lusa
  • 28 Outubro 2016

O BCE já aprovou a OPA do CaixaBank sobre o BPI, revelou esta manhã o presidente do grupo catalão.

A operação de aquisição do BPI pelo CaixaBank foi autorizada pelo Banco Central Europeu (BCE), revelou hoje em Barcelona o presidente executivo do banco espanhol, Gonzalo Gortázar.

Recebemos a autorização do BCE para avançar” e esperamos levar a Oferta Pública de Aquisição (OPA) em curso “a bom porto nos próximos meses”, disse Gortázar no início da conferência de imprensa em que apresentou os resultados dos primeiros nove meses de 2016 do CaixaBank.

O banco catalão já fez o pedido de registo da OPA junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) sobre a totalidade do capital social do BPI, e aguarda agora pela decisão da autoridade portuguesa.

"Recebemos a autorização do BCE para avançar.”

Gonzalo Gortázar

Presidente do CaixaBank

O CaixaBank já é o maior acionista do BPI, com cerca de 45%.

Gonzalo Gortázar sublinhou a “decisão importante” tomada pelo BPI de acabar com a limitação ao direito de votos, tomada em finais de setembro último, condição essencial para o CaixaBank continuar com a OPA lançada em abril último.

O banco com sede em Barcelona teve lucros de 970 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2016, menos 2,6% face ao período homólogo, incluindo impactos extraordinários associados à integração do Barclays em 2015.

Segundo “informação relevante” prestada hoje pelo banco catalão à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola), o resultado antes de impostos foi de 1.314 milhões de euros, um aumento de 45,2% do que no mesmo período do ano passado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

OPA do CaixaBank sobre BPI aprovada pelo BCE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião