Estado volta a ter dois representantes na gestão do BCP

Governo nomeou um novo membro não executivo do BCP, depois da saída de Bernardo Sottomayor em fevereiro. Estado volta a ter dois representantes na gestão do banco.

O Ministério das Finanças nomeou André Palma Mira David Nunes como membro não executivo do conselho de administração do BCP, em substituição de Bernardo Sottomayor, que saiu em fevereiro deste ano, segundo o despacho assinado segunda-feira pelo secretário de Estado adjunto, do Tesouro e das Finanças e publicado esta sexta-feira em Diário da República.

O Estado volta a ter assim dois representantes na administração do banco liderado por Nuno Amado, uma circunstância que resulta do recurso do BCP à linha de recapitalização do Estado, em 2012, através da subscrição pública de CoCo’s no valor de 3.000 milhões de euros.

Parte desses instrumentos híbridos — obrigações convertíveis em ações — já foram entretanto reembolsados ao Estado pelo BCP, que deverá pagar o que falta (750 milhões de euros) no início do próximo ano.

O outro representante do Estado na administração do BCP é José Rodrigues de Jesus, que, como André Nunes, vão manter-se na administração do BCP durante o período de vigência do investimento público para reforço de fundos próprios do banco.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado volta a ter dois representantes na gestão do BCP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião