Moedas apoia PME portuguesas. Saiba quais

Foram cinco as PME lusas selecionadas num conjunto de 176 projectos. Mas não são as únicas. O Programa Horizonte 2020. liderado por Carlos Moedas, vai dar 50 mil euros a 184 PME europeias.

Cinco empresas portuguesas vão receber 50 mil euros cada uma do programa comunitário Horizonte 2020, anunciou esta terça-feira a Comissão Europeia. Vêm juntar-se ao leque de 49 empresas lusas que já receberam apoio do programa ‘Instrumento Pequenas e Médias Empresas (PME)’, lançado a 1 de janeiro de 2014.

Na mais recente ronda de resultados da fase 1 do ‘Instrumento PME’ do Programa Horizonte 2020, foram selecionadas para financiamento 184 PME de 28 países, entre os quais Portugal, com um total de 176 projetos e 8,8 milhões de euros de financiamento. Mas desde que esta iniciativa arrancou já foram apoiadas 2.024 PME.

O comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, responsável pelo ‘Instrumento PME’, mostrou-se otimista com os resultados: “São agora 54 as empresas portuguesas a beneficiarem da fase 1 deste instrumento específico para as PME ao abrigo do Horizonte 2020, o que demonstra a dinâmica inovadora do tecido empresarial português em áreas como a energia limpa, a investigação espacial, a robótica, a tecnologia de qualidade, ou o crescimento azul”, disse, citado no comunicado.

Saiba então quais foram as cinco empresas selecionadas:

  • Agroinsider

    Esta PME de Évora apresentou o projeto AgroRadar que prevê a utilização de novos algoritmos e modelos para analisar os dados de observação da terra no âmbito do programa Copernicus em benefício da agricultura de precisão. A empresa que se propõe ligar a agricultura aos benefícios da inovação oferece aos seus clientes serviços que permitem reduzir a incerteza e ajudar a planificar, mas também detetar fatores de estrangulamento da produção. A “agricultura do século XXI é mais exigente em conhecimento, agronomia e tecnologia”, diz a Agroinsider. “Não trabalhe mais, trabalhe melhor”, acrescentam.

  • Ground Drone

    Desenvolver um sistema robótico destinado a democratizar o controlo de movimento durante a realização de filmes e vídeos é o objetivo a que se propõe esta empresa do Funchal.

  • InnoWave Technologies

    Prestar a qualidade da experiência através do teste automatizado de dispositivos é o que a empresas de Lisboa se propõe a fazer através do projeto InnSpect loT. Esta PME já tem como clientes a NOS, Vodafone, RTP, Zapp, Sigma, Telenet, avança com este projeto na área da Internet das coisas.

  • SPAROS

    Esta PME de Olhão concorreu com o projeto MYSIS, que pretender desenvolver uma nova dieta de desmame destinada a otimizar o rendimento das larvas de camarão de piscicultura. Esta empresa “spin-off” do Centro de Ciências do Mar da Universidade do Algarve, dedica-se à inovação no desenvolvimento de novos produtos, tecnologias e processos para a alimentação de peixes.

  • RVE.SOL – Soluções de Energia Rural

    O projeto Kudura pretende potenciar uma solução híbrida portátil para o fornecimento de energia e conversão de resíduos em energia. Esta PME de Leiria oferece às comunidades rurais sustentabilidade, energias renováveis e água potável com um custo acessível por PAYG básico. O objetivo é apresentar uma solução segura, à prova de intempéries, construída para durar mais de 20 anos e integrada num único contentor.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Moedas apoia PME portuguesas. Saiba quais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião