Rui Vilar renuncia à CGD… para regressar como chairman

Rui Vilar apresentou demissão do cargo de vice-presidente não executivo da Caixa Geral de Depósitos para iniciar um novo mandato como chairman na nova administração do banco público.

Rui Vilar e João Tudela Martins renunciaram aos cargos de vice-presidente não executivo e vogal executivo da Caixa Geral de Depósitos (CGD) tendo em vista iniciar um novo mandato de 2017-2020 com uma nova equipa. No caso de Rui Vilar, o antigo CEO da REN vai exercer funções de chairman do banco público.

A informação foi comunicada pela CGD esta terça-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Os nomes que integram a equipa executiva do banco público foram enviados para o Banco Central Europeu (BCE), quando o mandato de António Domingues termina já no final do ano. Os nomes da equipa não executiva só deverão seguir mais tarde.

Tal como o ECO avançou a 12 de dezembro, Paulo Macedo vai conduzir os destinos da Caixa, juntamente com José João Guilherme, antigo administrador do BCP e do Novo Banco, e do adjunto do secretário de Estado do Tesouro, Nuno Martins. A Caixa contará ainda com uma administradora, Maria João Carioca, que abandona a liderança da Euronext Lisboa, para regressar ao banco público.

A estes elementos, também se junta Francisco Cary. Foi quadro do Grupo Espírito Santo e administrador do BES Investimento (atualmente conhecido por Haitong Bank). Outro dos nomes que integram a administração é João Tudela Martins, sendo que já fazia parte da equipa anterior. Era até hoje um dos três administradores executivos que não apresentaram a renúncia ao cargo. Os outros são Tiago Ravara Marques e Pedro Leitão.

Comentários ({{ total }})

Rui Vilar renuncia à CGD… para regressar como chairman

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião