Albuquerque: “Foi preciso plano B e C para cumprir o défice”

  • Ana Luísa Alves
  • 28 Dezembro 2016

Maria Luis Albuquerque disse esta quarta-feira que à semelhança do que o PSD previa, foi necessário um plano B e C para que António Costa cumprisse o défice.

Maria Luís Albuquerque afirma que o Partido Social Democrata (PSD) tinha razão quanto à necessidade de “ter um plano B ou C para conseguir cumprir as metas do défice”. Esse plano B e C são o PERES e o regime de reavaliação dos ativos por parte das empresas.

“Quando vemos que apenas uma das medidas extraordinárias foi acordada com Bruxelas, a reavaliação de ativos, que geraria uma receita de 125 milhões de euros. E este plano de regularização de dívidas (o PERES) que previa um encaixe de 100 milhões de euros…“, declarou Albuquerque. O PERES garante um encaixe de 551 milhões só este ano.

“Sem estas duas medidas extraordinárias, o défice não se reduziria. São um plano B e um plano C”, acrescentou. Sem esses planos, explicou a antiga responsável pela pasta das Finanças do Governo de Passos Coelho, “o Orçamento do Estado, conforme foi apresentado, não permitira alcançar as metas pretendidas”.

“Quando apresentámos medidas extraordinárias, sempre o fizemos de forma transparente, apresentando orçamentos retificativos na Assembleia que a oposição sempre criticou. O que este Governo faz, o que maioria faz porque também é conivente com esta situação, é optar pela falta de transparência, afirmando que não recorre a nada para alcançar resultados extraordinários”, prosseguiu a atual deputada do PSD.

O défice orçamental no terceiro trimestre de 2016 ficou em 1,7% do PIB. No conjunto dos três trimestres de 2016, o défice ficou em 2,5%, precisamente a meta definida pela Comissão Europeia, para o total do ano. “Podemos dizer com tranquilidade que o défice fica abaixo dos 2,5%” este ano, disse, recentemente, António Costa.

(Notícia atualizada às 12h52)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Albuquerque: “Foi preciso plano B e C para cumprir o défice”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião