Schäuble: FMI deve ficar fora de futuros resgates na Zona Euro

Para o ministro das Finanças da Alemanha, o FMI está "cansado" de resgatar países europeus. Por isso, Schäuble defende que seja o Mecanismo Europeu de Estabilidade a tratar de resgates futuros.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse esta quinta-feira que o FMI “está cansado de estar sempre ocupado com os problemas europeus” e que a União Europeia deveria tratar de futuros resgates por si própria e sem a ajuda do fundo.

Por outras palavras, Schäuble defende a substituição das funções do FMI por parte do Mecanismo Europeu de Estabilidade, reforçando-o. É uma ideia defendida pela Alemanha ao abrigo do projeto de reforma da governação da Zona Euro.

O governante falava aos jornalistas à margem do encontro de Primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington. Schäuble disse ainda o Banco Central Europeu (BCE) devia seguir os passos da Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos e deixar de praticar uma política monetária ultra acomodatícia.

“A Fed já começou a abandonar a política monetária expansionista. Não seria uma má ideia se o BCE e outros começassem a seguir este exemplo”, disse Schäuble, citado pela Reuters. Recorde-se que a Alemanha vai a eleições este ano e tem-se mostrado favorável a um aumento das taxas de juro pelo banco central.

Por fim, Wolfgang Schäuble apelou aos Estados Unidos para se manterem empenhados na economia global e para que não tentem conquistar benefícios à custa de outros países. “Todos temos beneficiado muito” da integração e do comércio global nas últimas décadas, disse, reconhecendo, no entanto, que “é do interesse da América garantir segurança e estabilidade económicas”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Schäuble: FMI deve ficar fora de futuros resgates na Zona Euro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião