Depois da América Latina, CMS chega ao Mónaco

  • ECO
  • 12 Julho 2017

A firma de advogados está a reforçar a sua presença internacional. Agora foi a vez de chegar ao Mónaco, depois de ter entrado no Chile, Colômbia e Peru. Conta já com 71 escritórios em 40 países.

A sociedade de advogados CMS chegou ao Mónaco. A firma soma assim mais uma localização ao conjunto de jurisdições onde já está presente. Esta aposta vem reforçar a presença internacional, depois de ter integrado, no início deste ano, três novas sociedades na América Latina.

“A CMS somou mais uma localização estratégica ao conjunto de jurisdições onde já hoje está presente: a PCM Avocats é uma sociedade de advogados de referência do Mónaco e é o mais recente membro da organização CMS”, lê-se no comunicado enviado pela firma de advogados. Segundo a CMS, a sociedade de advogados oferece um “acompanhamento local no Mónaco, em todas as áreas de prática”. No Mónaco, a firma passa a chamar-se CMS Pasquier Ciulla & Marquet.

"A CMS somou mais uma localização estratégica ao conjunto de jurisdições onde já hoje está presente: a PCM Avocats é uma sociedade de advogados de referência do Mónaco e é o mais recente membro da organização CMS.”

CMS

Ao todo, a CMS já conta com “71 escritórios em 40 países e mais de 1.000 sócios e 7.500 colaboradores”. Este reforço acontece depois de, no início deste ano, a CMS ter integrado “três novas sociedades sediadas na América Latina, acrescentando o Chile, a Colômbia e o Peru às geografias onde pode prestar serviços aos seus clientes”, adianta.

Em maio também ficou concluída uma fusão com as sociedades Olswang e Nabarro, sediadas no Reino Unido. O escritório conta ainda com uma presença em África, China e Médio Oriente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Depois da América Latina, CMS chega ao Mónaco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião