MLGTS apoia venda de participação da EDP Renováveis à CTG

  • ECO
  • 4 Julho 2017

A EDP Renováveis vendeu à China Three Gorges (CTG) a sua participação minoritária num portfólio de energia eólica de 422 megawatts. Uma operação que foi feita com a ajuda da MLGTS.

A EDP Renováveis vendeu a uma empresa detida pela China Three Gorges (CTG) a sua participação minoritária num portfólio de energia eólica de 422 megawatts localizado em Portugal, por 248 milhões de euros — uma venda que foi realizada com o apoio da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva (MLGTS). Esta operação já estava prevista aquando da privatização da EDP, em 2011.

“A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva (MLGTS), através da equipa liderada pelo sócio Ricardo Andrade Amaro, com participação da advogada sénior Diana Ribeiro Duarte e do associado Pedro Capitão Barbosa, assessorou o grupo EDP na conclusão da venda de uma participação minoritária em ativos eólicos portugueses à entidade participada pelo seu acionista de referência, China Three Gorges (CTG)”, de acordo com um comunicado da firma de advogados.

De acordo com o comunicado enviado à CMVM, a participação em causa era de “49% do capital social e suprimentos relativos a um portfólio de energia eólica”, que passa a pertencer à empresa ACE Portugal Sàrl. A ACE Portugal Sàrl pertence a uma entidade participada pela China Three Gorges, a principal acionista da EDP.

"A Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva (MLGTS), através da equipa liderada pelo sócio Ricardo Andrade Amaro, com participação da advogada sénior Diana Ribeiro Duarte e do associado Pedro Capitão Barbosa, assessorou o grupo EDP na conclusão da venda de uma participação minoritária em ativos eólicos portugueses à entidade participada pelo seu acionista de referência, China Three Gorges (CTG).”

Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva

O comunicado revelou que esta venda, no valor de 248 milhões de euros, se insere “no contexto da parceria estratégia de dois mil milhões estabelecida em dezembro de 2011” entre a EDP e a CTG. De acordo com a MLGTS, “o assessor financeiro da EDP nesta transação foi o Millennium Investment Banking. A CTG foi assessorada na área financeira pelo Banco BPI e na área jurídica pela Serra Lopes, Cortes Martins”. A equipa da Serra Lopes Cortes Martins envolvida foi liderada pelo sócio Rafael Lucas Pires e contou com os associados Alexandra Martins e Pedro Silveira Borges.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MLGTS apoia venda de participação da EDP Renováveis à CTG

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião