Pedro Rebelo de Sousa lidera Assembleia Geral do Portugal India Business Hub

  • ECO
  • 5 Julho 2017

Pedro Rebelo de Sousa, sócio sénior da SRS Advogados, foi eleito para a Assembleia Geral desta plataforma, que tem como objetivo ligar empreendedores em Portugal e na Índia.

Pedro Rebelo de Sousa é o novo presidente da assembleia-geral do Portugal India Business Hub. O sócio sénior da SRS Advogados foi eleito para esta “organização que visa congregar as várias comunidades portuguesas de origem indiana para a promoção de negócios em Portugal, na Índia e também em países como o Brasil, Angola, Moçambique e Inglaterra”, lê-se num comunicado.

“O sócio sénior da SRS Advogados, Pedro Rebelo de Sousa, foi eleito, por unanimidade, para a presidência da assembleia-geral do Portugal India Business Hub. A plataforma tem como objetivo promover o intercâmbio económico nas áreas de comércio entre a Índia, Portugal e mercados da diáspora indiana“, de acordo com o comunicado.

Agora que está à frente desta entidade, Pedro Rebelo de Sousa afirma que pretende dar o seu contributo “para o desenvolvimento das relações entre Portugal e a Índia, num trabalho de crescimento económico, social e cultural de ambos os países”.

Segundo o escritório de advogados, a “criação do Portugal India Business Hub passou pela assinatura de três acordos entre os dois países envolvendo a AICEP, o Reira Group para a criação do PIBHub Goa e a ICC – Câmara de Comércio e Indústria da Índia, entre outros acordos assinados com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a Universidade do Minho, o Laboratório Ibérico de Nanotecnologia de Braga e um conjunto de instituições científicas indianas”.

A SRS Advogados refere ainda que o “foco estará em áreas de gestão de águas e resíduos, energia (solar e eólica), construção, infraestruturas (estradas, portos, aeroportos), agricultura e logística, turismo, hotelaria e imobiliário”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pedro Rebelo de Sousa lidera Assembleia Geral do Portugal India Business Hub

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião