Angry Birds na bolsa a valer dois mil milhões

A Rovio Entertainment pretende ir para a bolsa no próximo mês através de uma oferta pública inicial que poderá avaliar a dona dos Angry Birds em cerca de dois mil milhões de dólares.

Depois do jogo, o filme Angry Birds. Rovio procura levantar 400 milhões do IPO.Angry Birds

Adepto do jogo Angry Birds? Também já vai poder investir no jogo de telemóvel que o prende muitas horas diante do ecrã. Isto porque a Rovio Entertainment tem planos para lançar a Oferta Pública Inicial (initial public offering, IPO) no início do próximo mês numa operação que poderá avaliar a empresa em cerca de dois mil milhões de dólares (cerca de 1,7 mil milhões de euros), segundo adiantou fonte próxima do processo à agência Bloomberg.

De acordo com a mesma fonte, a Rovio — que detém o jogo e ainda um filme sobre os Angry Birds — deverá levantar aproximadamente 400 milhões de euros com a ida para o mercado bolsista local, na Finlândia. Mas não foram ainda tomadas decisões finais sobre o processo e entre as opções em cima da mesa poderá estar mesmo a manutenção do estatuto de empresas de capital fechado.

Carnegie Bank, Danske Bank e Deutsche Bank estão entre os bancos que estão a assessorar uma eventual estreia em bolsa da Rovio. Nenhuma destas entidades quis fazer comentários.

A Rovio está sediada na localidade finlandesa de Espoo, e obteve um crescimento das receitas de 34% em 2016, para os 190,3 milhões de euros. O EBIT — lucro antes de juros e impostos — situou-se nos 17,5 milhões de euros, depois de ter registado perdas no ano anterior.

Parte do seu negócio já foi alienado à Kaiken Entertainment, uma startup liderada pelo anterior presidente executivo da Rovio Mikael Hed e outros trabalhadores da empresa. Este negócio, realizado em março, incluiu o estúdio de animação da Rovio, o negócio de edição de livros e algumas propriedades não relacionadas com o Angry Birds, numa operação que fez parte da reorganização da empresa.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Angry Birds na bolsa a valer dois mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião