Preço das casas sobe 6% no último ano. Metro quadrado está nos 896 euros

O município mais caro do país é Lisboa, onde o metro quadrado ultrapassa os 2.200 euros. Na região do Algarve, quase todos os municípios têm preços superiores à média nacional.

O preço das casas continua a aumentar. Nos últimos doze meses, e até ao final do segundo trimestre de 2017, o valor mediano dos preços de alojamentos familiares vendidos em Portugal fixou-se em 896 euros por metro quadrado, o que representa um aumento superior a 6,4% em relação aos valores registados no segundo trimestre de 2016. Entre as várias regiões do país, as discrepâncias são muito expressivas: do município mais caro para o mais barato do país vai uma diferença de 2.125 euros por metro quadrado.

Os dados foram divulgados, esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que esclarece que o valor que foi tomado como referência foi a mediana, para “expurgar o efeito de valores extremos de leitura do mercado de transações de habitação à escala local”. Assim, tomando como ponto de partida o preço mediano de 896 euros, por metro quadrado, dos alojamentos familiares em Portugal, o INE identifica um total de 41 municípios onde os preços são superiores aos do resto do país.

Lisboa é, de longe, o município mais caro. Na capital, o preço mediano do metro quadrado era, no final do segundo trimestre, de 2.231 euros. Este valor representa também o maior aumento homólogo: os preços das casas em Lisboa dispararam 15% em relação ao segundo trimestre de 2016. Com valores próximos, mas ainda assim muito aquém, surge o município de Cascais, com 1.800 euros por metro quadrado, Loulé (1.650 euros por metro quadrado) e Lagos (1.555 euros por metro quadrado). “Na região do Algarve, todos os municípios, com exceção de Monchique e Alcoutim, registaram preços acima do valor nacional”, salienta o INE.

Fazendo a análise por regiões, destaque ainda para a Madeira, que, juntamente com a Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve, também tem preços acima dos que são registados no resto do país. Todas as restantes regiões têm preços inferiores à mediana nacional.

Valor mediano das vendas de casas, por metro quadrado.Instituto Nacional de Estatística

Casas novas custam mais 181 euros por metro quadrado

Ainda que Lisboa tenha os preços mais elevados, alargando a análise para Área Metropolitana de Lisboa, há municípios com preços abaixo da mediana nacional. Esta é a região do país com o maior diferencial de preços, não só entre municípios, mas também entre alojamentos novos e usados. No município da Moita, o preço mediano do metro quadrado é de 588 euros, um valor quase quatro vezes mais baixo do que os preços encontrados no município de Lisboa.

Já a diferença entre alojamentos novos e usados na Área Metropolitana de Lisboa é de 437 euros. No resto do país, também há uma diferença significativa entre estes dois segmentos: o preço mediano dos alojamentos novos foi de 1.049 euros por metro quadrado e o dos alojamentos usados de 868 euros.

O INE destaca ainda que os preços no município de Lisboa são de tal forma elevados que “o preço de alojamentos usados em Lisboa (2.146 euros por metro quadrado) superou os preços de alojamentos novos registados nos restantes municípios da Área Metropolitana de Lisboa”.

Alentejo, Beiras, Serra da Estrela e Trás-os-Montes: os mais baratos

Do lado das regiões com os preços mais baixos, o INE destaca o interior das regiões Norte, Centro e Alentejo.

A região das Beiras e Serra da Estrela é a mais barata do país, com o valor mediano do metro quadrado a ficar abaixo dos 500 euros. É também esta a região onde se encontra o município os preços mais baixos do país: Figueira de Castelo Rodrigo, onde o preço mediano do metro quadrado é de 106 euros.

A região do Alto Alentejo é a segunda com os preços mais baixos, seguida do Baixo Alentejo, Beira Baixa e Trás-os-Montes. Em todas estas regiões, o valor mediano do metro quadrado das casas não ultrapassa os 500 euros.

Notícia atualizada às 11h50 com mais informação.

Comentários ({{ total }})

Preço das casas sobe 6% no último ano. Metro quadrado está nos 896 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião