Portugal ganhou sete mil milionários em 2017. Há mais 2,3 mil milhões no mundo

  • Ana Batalha Oliveira
  • 14 Novembro 2017

A riqueza mundial está a aumentar -- desde a crise que o mundo ficou 27% mais rico. O número de milionários também sobe: contam-se mais 2,318 milhões só em 2017. Em Portugal, são mais sete mil.

Portugal tem agora 68 mil milionários, mais sete milhares do que há um ano, revela o Credit Suisse. No panorama mundial são mais 2,318 milhões os indivíduos a fazer parte desta lista, liderada pelos EUA. Portugal é o 35.º país no mundo com mais milionários, de acordo com o ranking do Relatório de Riqueza Global.

Em 2017 existem 35,929 milhões de milionários no mundo inteiro, e o número continua a aumentar. O país que mais contribui para a conta são os EUA, com 15,356 milhões — quase seis vezes mais que o segundo no pódio, o Japão, onde vivem 2,693 milhões.

Com 68 mil milionários, Portugal, fica no 35.º lugar de um ranking de 139 países, mas deverá continuar a aumentar. Portugal deverá contribuir com 77 mil milionários para esta estatística em 2022, prevê o Credit Suisse. Ou seja, um aumento de 13%.

Os dez países com mais milionários

O cenário da riqueza é mais positivo se olharmos para o topo da pirâmide: espera-se que o número de milionários cresça 22% nos próximos cinco anos, até atingir os 44 milhões em 2022. Já se o olhar recair sobre a base da pirâmide, a fatia da população que conta com menos de 10.000 dólares por adulto, deverá cair apenas 4% no mesmo período.

Níveis de riqueza, por país, em 2017

Portugal leva o ouro entre os países da União Europeia que estão no grupo de “riqueza intermédia” — entre os 25.000 dólares e os 100.000 dólares –, à frente da República Checa e Eslovénia. Mais afastados no ranking estão a Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Polónia e Eslováquia ocupam o extremo oposto. Este é também o grupo de países como os Emirados Árabes Unidos e a Arábia Saudita ou economias emergentes da América Latina, como o Chile, Costa Rica e Uruguai.

O relatório assinala que desde a crise financeira mundial, a riqueza global cresceu 27%. Considerando só o último ano, “a riqueza global aumentou 6,4% e atingiu 280 biliões de dólares, um salto de 16,7 biliões. Isto reflete ganhos generalizados nos mercados de ações combinados com aumentos semelhantes em ativos não financeiros, que pela primeira vez neste ano ultrapassaram o nível de 2007, antes da crise”, refere o relatório.

Os EUA são responsáveis por metade da riqueza gerada nos doze meses que decorreram até meados de 2017, totalizando 8,5 biliões de dólares. Destaca-se o último ano, no qual a aceleração foi maior e a riqueza média por adulto atingiu um novo recorde. Os níveis de dívida, contudo, têm permanecido estáveis. Encontra-se hoje 3% abaixo do verificado em 2007.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal ganhou sete mil milionários em 2017. Há mais 2,3 mil milhões no mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião