Malta, Croácia e Irlanda desistem da corrida à Agência Europeia do Medicamento

Malta retirou a sua candidatura sexta-feira. Croácia e Irlanda desistiram esta segunda-feira. Estão 16 cidades na corrida.

São três as cidades europeias que se retiraram da corrida para acolher a Agência Europeia do Medicamento, antes da votação secreta que vai decorrer nesta tarde de segunda-feira em Bruxelas.

Malta retirou a sua candidatura na sexta-feira. Croácia e Irlanda desistiu esta segunda-feira, ficam assim 16 cidades na corrida, incluindo o Porto. Mas a Irlanda mantém-se na corrida para acolher a Autoridade Bancária Europeia (EBA), juntamente com outras oito cidades, avança a Reuters.

A votação, que tem lugar na reunião do Conselho de Assuntos Gerais, esta tarde em que participa a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, é secreta e apenas a 27, não tendo o Reino Unido voto na matéria.

No caso da EMA, se na primeira volta uma das candidaturas recolher o apoio máximo de pelo menos 14 votantes, será de imediato a vencedora. Cada país, na primeira volta, poderá atribuir três, dois e um ponto às cidades candidatas, de acordo com a ordem de preferência.

Numa segunda volta, cada Estado-membro passa a ter apenas um voto, que terá de ser atribuído a uma das três cidades mais votadas (ou mais se houver empate) e vence a candidatura que tiver mais de 14 pontos. Se persistir o empate, e com o mesmo sistema de voto, a escolha será entre as duas candidaturas mais votadas, estando previsto um desempate por sorteio, caso seja necessário.

O Financial Times dava como favoritas a acolher a agência do Europeia do Medicamento Bratislava e Milão.

(Notícia atualizada com a desistência oficial de Dublin)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Malta, Croácia e Irlanda desistem da corrida à Agência Europeia do Medicamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião