Best Lawyers: PLMJ ganha nos advogados premiados

A Sérvulo, a Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados, a Uría, a CMS Rui Pena & Arnaut, a PLMJ, MLGTS e VdA foram os escritórios mais referenciados pelo diretório que se baseia na opinião dos pares.

A Sérvulo & Associados, a Vieira de Almeida (VdA), a Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados, a Uría Menéndez- Proença de Carvalho, a CMS Rui Pena & Arnaut, a PLMJ e a Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados (MLGTS) foram as sociedades mais referenciadas pelo Best Lawyers 2018. Um diretório norte-americano baseado em inquéritos feitos aos pares e que distingue estes seis escritórios, cada um, em duas áreas de prática. E que desde 2017 distingue igualmente as melhores sociedades nas diversas áreas de prática.

Áreas distinguidas (por ordem alfabética):

  • Administrative Law – Sérvulo & Associados;
  • Arbitraton and Mediation – Sérvulo & Associados;
  • Banking Law – Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados;
  • Capital Markets Law – Uría Menéndez – Proença de Carvalho;
  • Corporate Law – Vieira de Almeida & Associados
  • Finance Law – Uría Menéndez – Proença de Carvalho;
  • Intellectual Property Law – CMS Rui Pena & Arnaut;
  • Labor and Employment Law – PLMJ ;
  • Litigation – Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados;
  • Mergers and Acquisitions Law – Garrigues;
  • Natural Resources Law – CMS Rui Pena & Arnaut
  • Project Finance and Development Practice – Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados;
  • Real Estate Law – Vieira de Almeida & Associados;
  • Tax Law – Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados;
  • Technology Law – PLMJ;

A título individual, a PLMJ foi distinguida com oito advogados: Manuel Cavaleiro Brandão (Contencioso no escritório do Porto), José Miguel Júdice (Arbitragem Internacional), Nuno Líbano Monteiro (Insolvência), João Medeiros (criminal), Luís Miguel Pais Antunes (Media), Diogo Perestelo (Private Equity), Manuel dos Santos Vítor (Recursos Naturais) e Luís Sáragga Leal (M&A).

A MLGTS teve sete advogados referenciados: António Lobo Xavier (Fiscal), Luís Branco (Project Finance), Carlos Osório de Castro (Corporate Law no escritório do Porto), Miguel Nogueira de Brito (Direito Público), Jorge Simões Cortez (M&A), João Soares da Silva (Corporate) e Filipe Vaz Pinto (Arbitragem).

A Vieira de Almeida (Vda) tem quatro advogados neste ranking: Miguel Marques dos Santos (Imobiliário), Margarida Couto (Tecnologia), Nuno Ruiz (Direito da União Europeia) e António de Magalhães Cardoso (Propriedade Intelectual).

Da Campos Ferreira, Sá Carneiro & Associados foram distinguidos Pedro Furtado Martins (Direito do Trabalho), Duarte Brito de Goes (Bancário) e Maria Castelos (Financeiro).

A Uría Menéndez-Proença de Carvalho conseguiu duas distinções: Jorge Brito Pereira (Mercado de Capitais) e Daniel Proença de Carvalho (Contencioso).

Outros advogados distinguidos:

  • Rui Pena (Energy Law – CMS Rui Pena & Arnaut);
  • Mário Marques Mendes (Competition / Antitrust Law – Gómez-Acebo & Pombo);
  • Miguel Teixeira de Abreu (Fiscal – Abreu Advogados);
  • Octávio Castelo Paulo ((Telecomunicações – SRS Advogados);
  • José Manuel Sérvulo Correia (Administrativo – Sérvulo & Associados);
  • Sofia Galvão (Planning – Sofia Galvão Advogados).

Os resultados relativos a Portugal podem ser consultados no link: www.bestlawyers.com/current-edition/portugal

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Best Lawyers: PLMJ ganha nos advogados premiados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião