Sérvulo em conferência sobre valores mobiliários e mercados financeiros

Sérvulo volta a associar-se ao Congresso "Valores Mobiliários e Mercados Financeiros", que vai já na segunda edição. É promovido pela Almedina e pelo Governance Lab. Realiza-se a 12 e 13 de abril.

A Sérvulo & Associados volta a participar, nos próximos dias 12 e 13 de abril, em Lisboa, no II Congresso Valores Mobiliários e Mercados Financeiros, promovido pela Edições Almedina e pelo Governance Lab. Conta com a coordenação de Paulo Câmara, managing partner da Sérvulo e coordenador do Governance Lab.

O congresso pretende analisar e debater os desafios hoje enfrentados pelos mercados financeiros e as recentes mudanças que se refletem. De um lado, os mercados financeiros são atingidos por uma acelerada produção regulatória, não apenas europeia (DMIF II, Diretiva dos Direitos dos Acionistas II, Regulamento europeu da titularização) mas também nacional (novo regime de papel comercial, novo crime de uso de informação falsa ou enganosa na captação de investimento, nominatividade obrigatória dos valores mobiliários, nova disciplina das SIMFE e Código unificado de governance).

Além disso, os mercados financeiros continuam a ser um palco privilegiado de inovação, não apenas tecnológica, mas também no que respeita aos instrumentos financeiros distribuídos (ex: ICO’s e tokenized securities).

De entre os diversos painéis ao longo dos dois dias de congresso, destacam-se a sessão de abertura, a cargo de Filomena Oliveira, Vice-Presidente da CMVM, sobre “Regulação e Futuro do Mercado de Capitais” e a sessão de encerramento, assegurada por Pedro Siza Vieira, Ministro-Adjunto do XXI Governo Constitucional, sobre “Reformas legislativas do mercado de capitais nacional”.

Para mais informações, consulte o programa completo aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sérvulo em conferência sobre valores mobiliários e mercados financeiros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião