“Uma Questão de Derrotabilidade” ganha prémio Miguel Galvão Teles

O Instituto Miguel Galvão Teles anuncia a atribuição da segunda edição do Prémio Miguel Galvão Teles ao trabalho “Uma Questão de Derrotabilidade”, da autoria da Mestre Simone Marins.

O Instituto Miguel Galvão Teles anuncia a atribuição da segunda edição do Prémio Miguel Galvão Teles ao trabalho “Uma Questão de Derrotabilidade”, da autoria da mestre Simone Marins.

Os resultados foram apresentados hoje, numa cerimónia que decorreu na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

O júri, presidido por Jorge Miranda e integrado ainda por Miguel Nogueira de Brito e Rui Patrício, decidiu atribuir também duas menções honrosas, que se ordenam sem qualquer ordem de preferência, aos trabalhos “A Obrigação de Indemnizar por Facto Ilícito Extracontratual entre Pessoas Colectivas de Direito Público”, com autoria de Ricardo Neves, e “Das Cabeças de Uma Hidra: Fragmentação e Self Contained Regimes”, de Francisco de Abreu Duarte.

O Prémio Miguel Galvão Teles pretende recordar e celebrar uma das figuras mais marcantes do Direito português, aceitando a concurso trabalhos originais nas áreas de, designadamente, em Direito Constitucional e Direito Internacional. É atribuído pela Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa (AAFDL), pelo Instituto de Ciências Jurídico-Políticas (ICJP) e pelo Instituto Miguel Galvão Teles, instituto sob alçada da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Uma Questão de Derrotabilidade” ganha prémio Miguel Galvão Teles

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião