Direto Centeno: “Trajeto que temos percorrido não é de despesismo, não é de austeridade”

  • Tiago Varzim
  • 13 Abril 2018

O ministro das Finanças apresenta o Programa de Estabilidade 2018-2022 às 19h30.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, em reação ao défice de 2017 de 0,9% revelado pelo INE.PAULA NUNES / ECO

O ministro das Finanças está a apresentar o Programa de Estabilidade (PE) 2018-2022. O documento já deu entrada no Parlamento, após a aprovação desta quinta-feira em Conselho de Ministros.

“O ministro das Finanças, Mário Centeno, realiza hoje, 13 de abril, uma conferência de imprensa sobre o Programa de Estabilidade 2018-2022”, anunciou o Ministério das Finanças em comunicado.

Num momento em que a esquerda reclama mais dinheiro para o investimento em serviços públicos, o Executivo garante que a estratégia para os próximos anos vai fomentar o “crescimento económico inclusivo, com coesão social”. E isso passa também pela “consolidação sustentável das contas públicas”, assegurou o Governo no comunicado divulgado após o Conselho de Ministros desta quinta-feira.

Para o Executivo “o Programa de Estabilidade assume a continuidade da estratégia de política económica e orçamental definida no Programa de Governo”. “Prossegue, assim, o fomento de um crescimento económico inclusivo, com coesão social e consolidação sustentável das contas públicas, em benefício das gerações atuais e futuras”, lê-se ainda no comunicado do Conselho de Ministros.

Tal como o ECO avançou, o défice para este ano será revisto de 1,1% no Orçamento do Estado para 2018 (OE2018) para 0,7%. Esta será a meta que o Executivo apresentará no documento que terá de entregar em Bruxelas até ao final deste mês. Antes disso acontece a discussão no Parlamento, no próximo dia 24 de abril, sendo que o CDS já anunciou que irá apresentar um projeto de resolução para “obrigar” o BE, PCP e PEV a votar indiretamente o documento.

Acompanhe aqui a conferência de imprensa.

Comentários ({{ total }})

Centeno: “Trajeto que temos percorrido não é de despesismo, não é de austeridade”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião